WishList: Liz Taylor vira Barbie

A Mattel homenageia a diva Elizabeth Taylor com duas versões da BarbieViolet Eyes e White Diamonds – aprovadas pela própria atriz, que faleceu em 2011.

Além dos penteados clássicos, as bonecas tem fitinha vermelha, que representa o trabalho feito por Liz com portadores de HIV, e acessórios, como jóias (claro!), luvas, sapatos de salto, óculos de sol e um mini frasco do perfume. Puro glamour!

 

Cada boneca custa, em média, 150 dólares.

PS: Outras divas já foram homenageadas pela Mattel, como Audrey Hepburn

…..Cher,…

Barbra, …

…e, claro, Marilyn.

 

Entre os homens destaque para um jovem Sinatra.

Quer saber mais? Entre no site para colecionadores da Barbie. Vale a visita!

WishList: TerraMarEAr

Tem coisa mais gostosa que unir duas paixões como cinema e turismo?

Pois, assim como temos a seção OS INDICADOS VIAJA, Ruy CastroHeloisa Seixas lançaram um livro no qual dividem suas peripécias ao redor do mundo, muitas delas instigadas pelo curiosidade e desejo do cinéfilo Ruy.

Assim chegaram até Ravello, uma cidadezinha italiana onde “durante a primavera de 1953, uma trupe de atores internacionais – os americanos Humphrey Bogart e Jennifer Jones, a italiana Gina Lollobrigida, o inglês Robert Morley, o húngaro Peter Lorre e uma equipe inteira de coadjuvantes e técnicos ingleses e italianos, dirigidos pelo americano John Huston – ocupou Ravello para filmar Beat The Devil (O Diabo Riu por Último), baseado no romance do inglês Claud Cockburn (pronuncia-se Có-burn)”.

 

Com um contador de histórias como o Ruy, é claro que há deliciosas curiosidades em cada ensaio. “Começou quando, a poucos dias das filmagens, o carro que transportava Huston e Bogart, por imperícia do motorista, chocou-se contra um muro na estrada. Os dois foram projetados para o banco da frente. Huston não teve nada, mas Bogart mordeu a língua com tanta força que quase a atravessou com os dentes – ficou com a ponta pendurada. No pronto-socorro, o médico que o atendeu disse que as espetadas da anestesia doeriam tanto quanto as da agulha que iria usar para costurar a língua – donde iria direto para a costura, a frio. Bogart, que, apesar de ser de família fina, era corajoso de verdade, ouviu aquilo e se submeteu , sem gemer. Dias depois, começou a filmar normalmente, exceto por suas falas, que estavam saindo muito baixas. Huston disse que, quando chegasse a hora, esse problema seria resolvido pela dublagem. E foi mesmo, mas sem Bogie, que, quando a hora chegou, já tinha voltado para os Estados Unidos. Quem o dublou, imitando sua voz, foi um ator inglês, ainda desconhecido: Peter Sellers”.

Veneza – Ruy também jura que “um turista paciente” é capaz de, como ele, descobrir o local exato em que Katharine Hepburn cai no canal em Quando o Coração Floresce.

 

NY – Outro trecho imperdível é o Roteiro das duas Manhattans Sim, há a de araque, made in Hollywood, e a legítima, de mámore e lambris – e ambas são as mesmas, escrito em 1989.

Pois imagine você que “Quase todos os filmes “de Nova York” até por volta de 1965 foram filmados em Hollywood. As exceções foram algumas sequências de Farrapo Humano (1945), Um Dia em Nova York (1949), A Embriaguez do Sucesso (1957), Amor, Sublime Amor (West Side Story, 1961) e poucos mais  – mas só os diretores desses filmes sabem o quanto tiveram que lutar para que o estúdio permitisse o deslocamento da equipe. O normal era que, uma vez estabelecido para o espectador que o filme se passava em Nova York, tudo o mais fosse construído em estúdio, imitando a arte.

Nos anos 40 e 50, havia uma maneira infalível de mostrar que “estávamos” em Nova York: a câmera dava uma geral em Times Square, na qual se deslocava o anúncio luminoso do cigarro Camel, composto de uma boca gigante, da qual saíam, dia e noite, belas espirais de fumaça”.

“O Empire State Building que aparece na primeira versão de King Kong (1933), por exemplo, é o próprio, inaugurado poucos meses antes, mas ninguém do elenco nem sequer chegou perto da esquina da Quinta Avenida com a rua 34 durante as filmagens.”

 

Gostou? TerraMarEAr “viaja” por Veneza, Berlim, Saint-Tropez, Madri, Barcelona, Havana, Pompeia, Roma, NY, Mougins, Rapallo, Paris, Moscou, Lisboa, Rio, Búzios, Fernando de Noronha, Sevilha e Buenos Aires.

PS: Não deixe também de conhecer outras viagens indicadas aqui no blog –> OS INDICADOS VIAJA

 

 

WishList: Quinta Avenida, 5 da Manhã

Tem coisa mais gostosa do que matar tempo em uma livraria e acabar encontrando uma jóia? Pois esse é o caso de Quinta Avenida, 5 da Manhã, de S. Wasson.

Para fãs de Audrey Hepburn e a sua bonequinha de luxo, a capa em preto e branco já basta. Lá está, de perfil, um registro da cena clássica de Holly Golightly, com seu pretinho básico, bagel e café em punho, admirando a vitrine da Tyffany & Co.

O livro de Wasson, porém, é mais do que isso e deve agradar fãs do filme, de cinema, de Capote e de quem simplesmente gosta de uma história bem contada.

WTF?

Ok, vou parar de enrolar. Quinta Avenida, 5 da Manhã disseca os bastidores desse clássico, faz um paralelo com o livro e com a evolução da mulher na sociedade. Detalhes sórdidos dos protagonistas do filme, do diretor, dos produtores e de Capote não ficam de fora, é claro.

Saiba que… 

- Capote queria fazer o papel principal masculino, mas foi convencido do contrário. O argumento? “Todos os olhares vão estar em Holly Golightly, em cada fotograma do filme. O papel masculino é apenas um ombro onde Holly se apoia. Você merece uma coisa mais dinâmica, mais colorida”, disse Marty Judow ao vaidoso escritor.

- Capote terminou Bonequinha de Luxo em 1958 e esperava publicá-lo na Harper’s Bazaar, que recusou o manuscrito. Holly foi inspirada em todas “essas moças chegam a NY, voejam ao sol como siriris e depois desaparecem. Eu queria resgatar uma garota desse anonimato e preservá-la para a posteridade”.

- Bonequinha de Luxo foi o primeiro filme feito dentro da joalheria.

- Audrey não aceitou o papel logo de cara – tinha medo não só da reação do público mas também do que Holly exigira dela como atriz. Uma das suas exigências foi aprovar o diretor do longa.

- Audrey também teve que convencer Hubert de Givenchy a desenhar o seu pretinho básico. E o resultado…”Givenchy era um mestre que entendia as costas do vestido. Ele sabia o aspecto que queria que a mulher tivesse quando estava se afastando de você. Quando se olha de frente o decote do vestido longo de Audrey, parece apenas um vestido sem mangas, mas ao olhar por trás, quando se vê como ele cortou o desconte numa espécie de cabresto que acompanha a forma da joia, percebe-se que era bem ousado para a época”, contou o estilista Jeffrey Banks ao autor de Quinta Avenida, 5 da Manhã.

- Moon River foi um grande desafio para Henry Mancini pelo curto alcance vocal de Audrey. “E então – como costuma acontecer com essas coisas – veio de repente. Três notas: dó, sol, fá”, conta Wasson em um trecho do livro. A canção, aliás, teve o título provisório de Blue River. Foi de Johnny Mercer a ideia de Moon River.

E como eu adoro essa canção… ah, não esse é o post de amanhã. =)
PS: Bonequinha de Luxo já foi indicado a Melhor Sermão. Confira aqui.

WishList: Moedas do Star Wars

 

Peça para colecionador de moedas e fãs de Star Wars: conjunto de moedas inspirado na saga. Edição Limitada por 529.95 dólares canadenses ou R$ 912,04. Só aqui.

Superdica de Saulo Próspero, do blog Os Olímpicos. Se ainda não conhece, passe lá. Londres taí

 

WishList: Jogos

Para voltar à infância ou matar o tempo em uma tarde de verão: que tal um jogo com o seu filme ou cartoon favorito?

 

O velho Cara a Cara, como viu acima, virou Adivinha Quem? com os personagens Disney.  Para os fãs Marvel há o Cai não Cai do Lanterna Verde.

       

 

Toy Story, da Pixar, virou Jogo da Memória, enquanto…

… fãs de Star Wars podem simular o duelo entre AnakinSebulba no circuito anual Boonta Eve Classic Podrace.

   

 

Boas férias!

 

WishList: DeLorean

Eu nem dirijo e, mesmo assim, nunca esqueci o DeLorean, de De Volta pro Futuro. E, décadas depois, o carro pode ser adquirido por apenas R$349,90. É isso mesmo: R$ 349,90.

A FNAC vende uma miniatura de 6,5cm X 10cm X 24 para colecionadores.  Outra opção bem bacana (e mais em conta) é o cadillac de Cães de Aluguel.

Legal, né?

WishList: Quanto Mais Quentes Melhor – As Melhores Frases de Sexo do Cinema

A dica do amigo CeBacellar, do Doidos por Cinema, me fez refletir: por que é que eu não pensei nisso, cazzo?

Promessa de 2012: lançar um livro de frases de cinema. Mais da metade está pronto, certo? ;-)