O Guarda-Costas por Melhor Premiação

0890aa94fc8d4a9faad30a3d8dccc8e4

Toda premiação é a mesma coisa – muitas lágrimas, sorrisos nervosos, discursos histéricos… mas O Guarda-Costas, de 1992, quebrou todos os paradigmas:  

– a vencedora do Oscar, Rachel Marron, sofre um atentado ao vivo;

–  o morto-vivo Frank Farmer dá um banho de profissionalismo e mata, também ao vivo, o terrorista;

– Whitney Houston dá um banho de interpretação (sic) e arranca lágrimas quando grita It’s not me! It’s not me! He’s my bodyguard!!, enquanto  se  esforça para mantê-lo longe da luz.

E depois de tanto suspense, o alívio e o reencontro ao som de ‘And Iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii…”

Foi muito difícil encontrar uma categoria para esse filme, que é um verdadeiro clássico. Cogitei colocar como Melhor Date, mas temos que admitir que Rachel e Frank não tinham muita química.

O primeiro encontro chega, inclusive, a causar vergonha alheia. Se Whitney Rachel tivesse visto Ele não está tão a fim de você, ela saberia que daquele mato não sairia muito cachorro.

Durante todo o date, ela fala feito uma maníaca (chata), ele mal olha para ela e aposto que só pega para provar que é macho. Ah, e a cena da espada refletindo a luz nos olhos deles?

Veja você mesmo:

Mas eu não quero detonar o filme por três motivos:

1- Eu confesso que era louca por ele no passado (a fita VHS deve estar guardada em algum lugar).

2- Eu gosto até hoje da trilha sonora, que rendeu duas indicações ao Oscar. Uma por Run to You

… e outra por I Have Nothing.

3 – Esse post celebra a volta da Whitney, após um afastamento de sete anos. É isso mesmo, minha gente!

31 de agosto é a data oficial do lançamento do novo disco, que pode ser conferido no site dela.  Eu já tenho, inclusive, a minha faixa preferida do  sexto álbum,  I Look to You.

Trata-se de Million Dollar Bill, que tem a cara de Alicia Keys, até porque foi escrita por ela, e o vozeirão inconfundível da Diva.

Segundo a Reuters, as primeiras críticas do álbum são promissoras e a Arista Records, da Sony, espera que ele seja um dos discos mais vendidos do ano.

PS1: O Guarda-Costas foi o début de Whitney nas telonas. Antes disso, ela tinha participado somente da série Gimme a Break!. Depois do sucesso com o Kevin Costner, ela fez, além de participações especiais na TV, os seguintes filmes:

Falando de Amor, com a  Angela Basset. A trilha sonora, que contava também com Aretha Franklin e Mary J Blige,  foi feita pelo Babyface, gerou bom barulho e concorreu a 3 Grammy. Exhale (Shoop Shoop) é a faixa título:

Um Anjo em Minha Vida, com Denzel Washington.

PS2: Voltando ao O Guarda-Costas, o filme concorreu em 7 categorias (venceu em duas) ao MTV Movie Awards. A minha preferida? A indicação a homem mais desejado,  Kevin Costner. hahahahaha. Muito bom, MTV!!

E, claro, o filme da Whitney também arrasou no Framboesa de Ouro, recebendo sete indicações – pior filme, pior ator, pior atriz , pior revelação , pior canção original (Queen of the Night) e pior roteiro.

PS3: Whitney voltou ao Oscar em 1999 para cantar, ao lado de Mariah Carey, When you believe.  Produzida por Babyface, o hit ganhou o Oscar como Melhor Canção Original de O Príncipe do Egito, da Dreamworks.

Confira o dueto:

PS4: Esse post é dedicado ao Ricardo e toda a galera do Dona Rachel, que continuará sendo tendência. Afinal, Iiiiiiiiiiiiiii will always loooove youuuuuuuuuuuuuu, will alwaaaaays…

3 thoughts on “O Guarda-Costas por Melhor Premiação

  1. Pingback: Frame: Kevin Costner em Bauru « E os indicados são…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s