Crítica: Eclipse

Como anunciei orgulhosamente ontem, eu fui uma dessas pessoas que pagou para ver Eclipse antes dos outros.  Por volta das 00:20 de hoje, depois de comerciais intermináveis e trailers até que interessantes, meu coração batia acelerado de tanta ansiedade e emoção com os primeiros segundos da terceira parte da saga de Stephenie Meyer.

E valeu!

Eclipse reúne o melhor dos dois primeiros filmes: o romantismo de Crepúsculo e a ação de Lua Nova.

As cenas de ação, aliás, são tão boas e aqueles lobisomens, tão perfeitos, que eu, romântica inveterada, quase pedi para pular a parte melosa.

Junte a isso uma dose, bem lembrada por Ricardo Calil na crítica de hoje da Folha, de erotismo e ironia.

Comparação

É claro que o livro é melhor. É praticamente impossível reproduzir em cerca de duas horas a riqueza de detalhes criada por Stephenie. Cheguei a ter cãibras de tão tensa que estava esperando por algusn trechos e não fiquei nem um pouco decepcionada ao ver que alguns ficaram de fora e outros foram resumidos  – caso da cabana do amor, aquela em que o trio se reúne no alto da montanha e onde Jacob e Edward têm o primeiro papo sério, mais adulto).

Dá pra entender.  

Por outro lado, nem uma boa imaginação seria capaz de reproduzir com tanta perfeição os músculos do Jacob, que consolida definitivamente Taylor Lautner como um dos melhores atores descamisados de todos os tempos.

 

CLAP! CLAP! CLAP! para o jovem talento

Moral da História?

Ótima adaptação! Já tô morrendo de ansiedade por Amanhecer.

Que venha a Reneesme!!

—-

PS1: Pelamor! Precisamos iniciar uma campanha para ter menos propaganda nos cinemas. E, principalmente, abolir a campanha da Johnson & Johnson.  Oi? Kinoplex? Johnson’s Baby? Agência? Às 00h21, nem eu nem ninguém está interessado em assistir depoimentos irritantes de mães sobre produtos para bebês.

PS2: Para não dizerem que eu tô ficando mole, faltou Eclipse apresentar melhor a Bree .

PS3: Não vou fazer comentários sobre a trilha, porque eu realmente não consegui prestar atenção. (Sentiu a tensão?)

PS4: Eu gostei da nova Victoria. Muita gente nem vai perceber a troca (dizem que por causa de $$$).

PS5: Será que um dia eu vou conseguir escolher entre o Jacob ou o Edward?  

PS6: Palmas para os Cullen também. Coooollens!!    

5 thoughts on “Crítica: Eclipse

  1. Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii honey, agora estou mais ansiosa ainda!
    Não vejo a hora de assistir.
    Mas será que não vou me decepcionar com a falta de cenas na cabana? Achei um momento muito intenso no livro.
    Ui ui ui quero ir agora!!!
    Beijosss =)*

  2. Pingback: Crítica: Amor à Distância « E os indicados são…

  3. eu adorei o filme principalmente o jacob nao vejo a hora de assistir o amanhecer
    jacob eu te amo ………………
    edward tb te adoro……..

  4. Pingback: Frame: Sérgio Rizzo decifra o Oscar « Cinema e TV: E os indicados são…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s