Downton Abbey por Melhor Encontro

Sabe o que acontece quando duas damas, uma inglesa e outra americana, se encontram?

Bom, assista a terceira temporada de Downton Abbey e descubra.

So traditional…

Anúncios

A Bela Ditadora por Melhor Encontro

Esse blog está saudosista…a mesma categoria de ontem; outros deuses. Sing, Frank! Dance, Gene! 

Quem diria, hein, Sinatra?! =)

As Mil Apoteoses de Ziegfeld por Melhor Encontro

Depois do post de ontem, o encontro dos deuses.

 

40 anos depois, uma companhia aérea juntou Gene Kelly e Fred Astaire em um comercial.

Harold and Maude por Melhor Encontro

É esse o nome original do filme de 1971, que deu origem à peça Ensina-me a Viver, em cartaz no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo, até 6 de novembro.

Há tempos planejava ver esse espetáculo, classificado por muita gente como triste. Foi uma senhorinha cheia de vida, igualzinha à protagonista, que me convenceu do contrário. E ela tinha razão.

Ensina-me a Viver celebra a vida. Maude ensina Harold a alegria, a aproveitar cada minuto. E nesse contexto não há realmente espaço para lágrimas.

O filme de 71 virou cult e teve seus protagonistas, Ruth Gordon e Bud Cort, concorrendo a diversas premiações, incluindo o Globo de Ouro.


No Brasil, há peça com Gloria Menezes e Arlindo Lopes já tem alguns anos e pode ser vista atualmente por apenas 30 reais. O jovem intérprete de Harold colocou alguns vídeos no seu Vimeo, incluindo o abaixo, com uma versão nova de Eduardo de Monica, ou Harold e Maude.

 

Esse post é dedicado aos bons encontros dessa vida e, principalmente, a todas as Maudes desse mundo.

Serviço:

Ensina-me a Viver, com Glória Menezes e Arlindo Lopes

Teatro Sérgio Cardoso – Rua Rui Barbosa 513. Bela Vista, SP.

Sexta-feira e sábado às 21h; Domingo às 18h

Até 06/11/2011.

Minhas Tardes Com Margueritte por Melhor Encontro


Do encontro inusitado do bronco com a velhinha cheia de vida, risadas e saudade da bisa.

 

 

PS: Para a minha bisa.

PS2: WordPress, favor parar de postar as imagens como bem entende.

O Voo do Dragão por Melhor Estalo, Melhor Careta e Melhor Encontro

Não importa se você é ligado ou não em artes marciais. Tenho 100% de certeza que você sabe quem é Bruce Lee, você sabe que ele é o mestre dos mestres e que, mesmo tendo se passado 37 anos após a sua morte, ninguém ainda foi capaz de superá-lo.

Talvez você não saiba que o Bruce:

1. também era o mestre dos estalos. E que estilo!!!! Além de uma flexibilidade invejável, ele estalava todo os ossos do corpo com um movimento sutil de força que ressaltava toda a sua musculatura.

2. fazia as MELHORES caretas durante as lutas: de não-tô-nem-aí, de perverso, de tá-difícil, tá-fácil, pega-essa…

3. teve em O voo do Dragão o melhor encontro de todos os seus filmes. Deu uma surra gos-to-sa no bobalhão do Chuck  Norris em pleno Coliseu, de Roma. Histórico!!!  

PS1: Sim, eu posso chamar o Bruce Lee de Bruce, porque nossa relação é muito antiga. O menino meu irmão me apresentou aos filmes dele quando era pequena. Até a biografia eu já li. Além de saber que Bruce era um grande dançarino, nunca esqueci um dos seus ensinamentos: “Covarde não é aquele que evita um combate; covarde é aquele que, mesmo sabendo que é superior, luta e fere o mais fraco“. Gostou? Não, eu não copiei de nenhum lugar. Eu sei de cor.

PS2: Eu me sinto mais próxima de Bruce sempre que estalo um dedo, punho ou o pescoço. É nóis, Bruce!!!

PS3: Eu seria capaz de imitar os gritinhos, mas tenho vergonha.  

PS4: Eu gosto quando mostra o gatinho entediado com a luta (3’55’), mas aposto que no final ele fechou os olhinhos de vergonha do Chuck Norris.

PS5: Aliás, ele fatura até hoje a amizade com o Bruce.

PS6: Quando o Brandon Lee, filho do mestre, morreu, eu também fiquei nude.

PS7: Se você também gosta do Bruce, vale visitar o blog Bruce Lee Brasil.

PS8: A Americanas.com tem A Coleção do Mestre.

PS9: Como não poderia deixar de ser, esse post é dedicado ao meu irmão, meu mestre, O  Menino.

NY Eu Te Amo por Melhor Encontro

Perambulando por São Paulo, eu fiquei com uma vontade enorme de rever esse filme. Na primeira vez, saí do cinema com a sensação de “quero mais”.  Aquelas histórias simplesmente não podiam terminar assim, tão rápido…

Nessa segunda vez, eu consegui, a muito custo, definir quais os meus segmentos preferidos. Mais do que a cidade e o amor, essas histórias celebram, para mim, o encontro, aquele momento que faz a vida tão especial ou tão particular.

Eu adoro, por exemplo, a história da Lydia.  Eu gosto como fica alheia a cidade e aos outros passageiros do metrô, da análise que faz da situação e da coragem para encontrar o desconhecido e levar adiante uma relação improvável.  

E o garoto…

… que definiu assim seu encontro: Central Park covers almost 843 acres. It is 6% of Manhattan. There are also 127 000 method actresses in New York, which is is 2% of the population. An on the night of senior prom, these two elements  came together to make one perfect wish come true. God, I love NY”.

 

Eu gosto do segmento da Anna, mas o que pega em mim está logo no início, quando ela diz: “You know this is what I’ve always liked about NY – these litlle moments on the sidewalks smoking, thinking about your life…it makes you appreciate the city better. You can watch the buildings, you can feel the air, look at the people, sometimes meet somebody you feel like talking to…”

Observar, reconhecer e apreciar pequenas coisas,  pequenas momentos… e por falar em momentos, esses dois sempre me fazem chorar.

Eu gosto como eles brigam e implicam um com o outro o tempo todo, mas gosto, principalmente, da cumplicidade… como, sem explicações, sem palavras, o outro entende o que está sentindo.

 

PS1: NY Eu Te Amo  foi dedicado ao Anthony Minghella, que escreveu a história dirigida por Shekhar Kapur e interpretada por Julie Christie e Shia LaBeouf.  O diretor indiano escreveu em seu blog: “He told me his film was about the value of life and how people sometimes just throw away their lives, unable to look beyond into the real beauty of it. I will direct the film now — with Anthony in my heart and in presence of his soul.”
 

PS2: Só agora, escrevendo esse post, eu me dei conta que essa Julie Christie

… é a Julie Christie do Dr Jivago.

Que amadora, né?

PS3: Natalie Portman, que atuou no segmento dirigido por Mira Nair, escreveu e dirigiu a história da menininha com o pai dançarino. Eu adoro as duas histórias, btw.

PS4:  Drea de MatteoJacinda Barrett são duas lindas e talentosas atrizes muito mal aproveitadas por Hollywood. A primeira já fez Joey e Os Sopranos e está hoje em Desperate Housewives. A segunda você deve reconhecer de Bridget Jones 2, Poseidon e Um Beijo a Mais.

PS5: Outro ponto alto da história de Anna, além do casal de atores (é bom ressaltar), é a trilha. Eu adoro No Surprises, do Radiohead, e acho que toda história vai ficar mais interessante e emocionante com esse fundo.

 PS6: O trailer