Karate Kid por Melhor Jovem Talento

Não, eu não mudei de ideia. Eu continuo achando o fim da feira, um sacrilégio essa nova versão de Karate Kid.

Entendam:  

1) Há clássicos que a gente tem que respeitar. Não vale um remake e ponto final.

2) Mr. Miyagi, assim como o Mestre Yoda, só tem um.

 

3) O Jackie Chan já provou que tem talento para fazer filme de artes marciais e comédia – assim mesmo, fifty, fifty. Então, vamos parar de desperdiçá-lo?

4) Os china têm pose, mas não chegam aos pés do Cobra Kai. (Who’s bad?)

  

5) Daniel Larusso é um só. É aquele bananão do Ralph Macchio, increvelmente chato, cafoninha e que apanha feito um condenado.

Mas então por que estou fazendo esse post?

Bem, minha gente, porque eu também gosto de incentivar os jovens talentos.  O Jaden Smith não detonou mas tem carisma – o mesmo carisma do pai, aliás.

Com muito suor e humildade, ele pode correr atrás do prejuízo. Ou você via no Will Smith de The Fresh Prince of Bel-Air e Independence Day o Ali e o Chris, de A Procura da Felicidade?

   

So…Go, Jaden, go!!!

 

PS1:  Os Indicados adverte: esse corpo não é normal numa criança de 12 anos.

 

PS2: Ele já está seguindo os passos do pai. Gravou com o (a)  Justin Bieber.

PS3: Veja o trailer do novo Karate Kid, que arrecadou US$ 56 milhões no fim de semana de estreia nos EUA.

PS4:  Agora o verdadeiro Karate Kid:

 

 

Anúncios

Cracks por Jovem Talento e Imponência

Não se engane com a sinopse de Cracks. Ela é mesmo meio desanimadora, remetendo a um desses filmes com internatos, professores inspiradores…

Acontece que esse longa vai um pouco além dessa fórmula batida ao revelar um mundo, digamos, um pouco doentio. 

E não é só o enredo que chama a atenção.  Tem também a diretora Jordan Scott, protagonista do nosso primeiro Momento Você S/A, estimulando jovens talentos mundo afora.

Sim, ela é filha de Sir Ridley Scott, o que, segundo revelou ao Times, não torna a vida muito mais fácil. “Directing is a tough thing to do no matter who you are. You still have to be the person who makes the film, you still have to get financing, you have to go though all the steps everybody else has to. And, if people don’t want it, they don’t want it.

Independente da árvore genealógica,  o que realmente importa para esse blog é que Cracks foi um ótimo trabalho para uma estreante de apenas 32 anos.

Antes disso, Jordan tinha feito somente comerciais para companhias como Renault e Orange, além de participar de um segmento do Crianças Invisíveis, ao lado do papi.

Como você pode ver na foto acima, tirada durante a estreia no London Film Festival, Cracks ainda traz Eva Green.

E essa mulher, minha gente, não é só bonita. Ela é imponente – não importa o ambiente ou a roupa. Cracks também prova isso.

   

Afinal, não é a toa que o 007 se apaixonou por ela né?

 

PS1: Cracks foi inspirado na obra de Sheila Kohler. A diferença é que a história não se passa durante o Apartheid na África do Sul, mas em uma ilha fictícia na costa da Inglaterra.