Entre o Amor e a Paixão por Melhor Trilha

Verão chegando e com ele muita estrada, praia, piscina e churrasco. Para animar esses momentos, escolhemos a trilha gostosa de Entre o Amor e a Paixão, filme da Michelle Williams que integra a Mostra de Cinema de SP.

O nome do filme já dá o tom — Take This Waltz, do Leonard Cohen.

 

 

Tem também Video Killed the Radio Star, do The Buggles

 

,.. Closing Time, originalmente do Leonard Cohen mas aqui em versão da Feist

 

… que emplacou ainda Secret Heart na trilha.

 

Mais: Wide Open Plan, de Doug Paisley;…

e Close your eyes, de Micah P. Hinson.

 

PS: Que  filme é esse? Veja nossa crítica no Doidos Por Cinema.

PS2: Confira a trilha completa aqui.

Cinema Paradiso por Melhor Emprego, Melhor Conselho, Melhor Herança e Melhor Trilha

Cinema Paradiso é um daqueles filmes que merecem ser frequentemente celebrados. É praticamente uma receita para acabar com o mau humor e para dar leveza à alma.

Alfredo é o projecionista do Cinema Paradiso, principal diversão de uma pequena cidade italiana. Ainda que solitária, sua profissão leva magia à vida das pessoas e, como o próprio Alfredo descreve, cada risada é o seu prazer. O filme todo, aliás, é uma celebração ao cinema. “Cinema Paradiso é um filme que encanta qualquer um que cultive algum tipo de afeto pelo cinema. O diretor e roteirista Giuseppe Tornatore lança mão de muitos recursos sentimentais cujos efeitos mais eficientes consistem em evocar os laços emocionais  que o espectador de qualquer idade mantém com os filmes”, ressaltou Cássio Starling Carlos no encarte da Coleção Folha de Cinema Europeu.

Nenhuma frase, porém, é capaz de explicar tão bem o trabalho de Alfredo (e de Tornatore) do que essa cena:

E é o velho Alfredo, o mentor de Totó, quem compartilha o conto:

Quero deixar você contente. Vou te contar uma coisa. Vamos sentar um pouco (…). Um dia um rei deu uma festa. Convidou as princesas mais belas do reino. Um soldado da guarda viu passar a filha da rei. Era a mais bela de todas. Ele se apaixonou, mas o que faria um pobre soldado diante da filha do rei?

Finalmente, um dia ele conseguiu encontrá-la e disse-lhe que não podia mais viver sem ela.  Ela ficou tão impressionada com esse forte sentimento que respondeu ao soldado: se souber esperar cem dias e cem noites sob o meu balcão, então eu serei sua. Caramba! O soldado foi lá e esperou: um dia, dois dias, 10 dias, 20 dias. Toda noite ela controlava pela janela. Ele não saía dali. Com chuva, vento ou neve, ele continuava ali. Os passarinhos faziam cocô nele, as abelhas o comiam vivo, mas ele não se mexia. Depois de 90 noites, ele estava todo ressecado e branco. Lágrimas escorriam-lhe dos olhos e ele não podia segurá-las, pois não tinha mais forcas nem para dormir. A princesa continuava a olhar pra ele. Quando chegou a 99ª noite, o soldado se levantou, pegou a cadeira e foi embora.

Totó: Como assim? No final?

Alfredo: Sim. Bem no finalzinho, totó. E não me pergunte o significado. Eu não sei! Se entendeu, explique-me vc.

Um dos pontos fortes do diretor Tornatore é, sem dúvida, a escolha do elenco. Do garotinho levado com sorriso maroto ao adulto sério, que se emociona com frames do seu passado.

Ah, tem também a premiada trilha de Cinema Paradiso, uma atração à parte, que só deixa a narrativa ainda mais emocionante. E, é claro, só podia ser de Enio Morricone.

PS: Cinema Paradiso ganhou cerca de 20 prêmios mundo afora, incluindo um Oscar por Melhor Filme Estrangeiro.

PS2: É de Tornatore Malena, Baarìa e Estamos Todos Bem – este último com Marcello Mastroianni no papel principal. A versão americana, anos depois, é com Robert de Niro e já foi comentada aqui.

PS3: Cinema Paradiso rendeu uma série de posteres diferentes mundo afora.

    

PS4: Vale prestar atenção em Philippe Noiret (Alfredo), Jacques Perrin (Totó adulto) e Salvatore Cascio (Totó criança), que trabalhou em outro filme de Tornatore.

PS5: Post dedicado à Angel, que também adora esse filme.

Cadillac Records por Melhor Trilha Sonora

Ontem X-Tina Aguilera entrou nos TTs por cantar, com os peitos quase de fora,  At Last durante o funeral de Etta James.

Mas não foi X-Tina quem viveu a cantora soul nas telonas. Foi Beyonce, logo depois de Dreamgirls e em um filme que passou praticamente despercebido.

Com Adrien Brody no elenco, o filme de 2008 conta a história do selo Cadillac Records, nos anos 50.  Apesar da foto amigável aí embaixo…

… dizem que Etta não era lá muito fã de Beyonce e o descontentamento ficou ainda maior quando a jovem cantora dedicou At Last para a primeira dança de Barack e Michelle Obama (leia mais aqui)

 

 

Intrigas à parte, esse blog não tem dúvida de que todas as versões de At Last merecem ser apreciadas, assim como o filme, que tem uma trilha sonora impecável e imperdível para os fãs de Etta, soul e R&B.

OS INDICADOS OSCAR: Amor Sublime Amor por Melhor Trilha e Melhor Desabafo

West Side Story, ou Amor Sublime Amor, é um filme de terror para quem não gosta de musical. É exagerado, é cafona e, em certos momentos, forçado demais.  Taí parte da graça de mais uma história de amor talhada pelo sangue latino.

Eu D-U-V-I-D-O que você não conheça canções como  Tonight,…

…ou I Feel Pretty.

A música interpretada por Natalie Wood já ganhou até uma versão escrachada do Jack e do chato do Adam Sandler, em Tratamento de Choque.

Tem ainda I have a Love, que para esse blog tem o melhor desabafo:

I have a love and it’s all I have. Right or wrong, what can I do?

 

PS1: Amor Sublime Amor estraçalhou o Oscar de 1962. Foram 10 estatuetas, incluindo melhor filme, melhor trilha, melhor figurino, melhor ator coadjuvante e melhor atriz coadjuvante.

PS2: Lançado em 1957 na Broadway, a peça teatral está até hoje em cartaz em teatros mundo afora.

As Aventuras de Pinóquios por Melhor Trilha Sonora

O filme pode ter passado despercebido, mas a música…

PS1: Eu gosto muito de Stevie Wonder(ful) e adoro Kiss Lonely Goodbye.

PS2: “As  Aventuras de Pinóquio” foi lançado em 1996…

… e tinha no elenco Martin Landau, Ron Schneider e Jonathan Taylor Thomas, que na época tinha 15 anos e hoje 29.

Austin Powers – o Agente Bond Cama por Melhor Trilha

Ela é americana e ele, o estranho bonito, britânico. E do encontro deles…

Oh, behave!!

PS1: Completam o álbum Lenny Kravitz, The Who, Green Day e REM.

PS2: Heather Graham é  Felicity Shagwell, a Power Girl do Austin Powers – The Spy Who Shagged me, título original do filme.

PS3: Mais Austin aqui…

e aqui.

Uma Secretária de Futuro por Melhor Executiva

Pare AGORA de ler a Você S/A e preste a atenção no que a Tess tem a dizer,

porque este é o verdadeiro case de sucesso profissional e amoroso.

E, como toda grande história, embalada por uma boa música.