W.E. – O Romance do Século por Melhor Proposta e Melhor Acessório

Todo mundo, principalmente os críticos, desceu o sarrafo na Madonna, mas confie em mim, W.E. – O Romance do Século nem é tão ruim assim.

A história do rei que abdica do trono não é novidade. A proposta de Madonna é ouvir o outro lado da história,  mostrar o que é que a norte-americana   temtinha de tão especial e como foi a vida dela depois que Edward contrariou sua família e seu destino.

Fato: a proposta é muito boa e a narrativa, mesmo não emocionando, mais parece um videoclipe.

Fashionistas de plantão tem um motivo a mais para ver o filme: o figurino, explorado nesse post do Omelete, é divino, com destaque para as jóias, que fazem parte do acervo pessoal da própria Madonna.

Quem curte calçados femininos, bolsas e outros acessórios de moda não pode perder; #ficaadica

Anúncios

Brilho de Uma Paixão por Melhor Declaração

Afinal, ele era John Keats. 😀

I almost wish we were butterflies, and live but three summer days – three such days with you I could fill with more delight than fifty common years could ever contain.

PS1:  Brilho de Uma Paixão é baseado na história de Keats e Fanny Brawne. Não agrada qualquer público, mas aquele apaixonado por romances épicos, poesia e amores castos.

PS2: Fanny ficou noiva de Keats e seu luto durou seis anos. Ela ficou amiga da irmã de Keats e, após a morte do irmão e da mãe, foi ver em Bolougne, na França, onde se casou com um comerciante abastado (adoro essa palavra). Com Louis Lindon, teve três filhos. Morreu em 1865, aos 65 anos, 44 após o falecimento do poeta.  

PS3: Quando o filme foi lançado lá fora, foi feito um concurso de cartas de amor. Veja o resultado no site oficial.

PS4: Em carta ao irmão, Keats a descreveu como ” beautiful, elegant, graceful, silly, fashionable and strange”. Strange é a minha parte favorita. 😉

 

Um Bom Ano por Melhor Herança

Eu AMO muitas coisas nesse filme, mas vamos falar sério? 

Nada teria acontecido se o Uncle Harry não tivesse empacotado e deixado aquela maravilhosa propriedade em Provence.

Merci beaucoup e au revoir, oncle Harry.

 

PS1: Esse filme eu assisti (e me apaixonei) assim que ele foi lançado em 2006. Revendo agora, após adquirir o DVD na Americanas.com, prestei mais atenção em duas atrizes:

– quem faz a prima do Russell Crowe, em Um Bom Ano, é a Abbie Cornish, que pode ser vista atualmente nos cinemas em Brilho de Uma Paixão como Fanny Brawne, a mulher por quem Keats é apaixonado.

 

– a Gemma, assistente do Russell, é interpretada pela Archie Panjabi, que faz a detetive Kalinda, em The Good Wife, série também do Ridley Scott.

 

PS3: A lindíssima e talentosíssima Marion Cotillard não tinha como não notar né?