Perfume – A História de um Assassino por Melhor Praga

Perfume (2006) é um filme belo. Sem grandes surpresas. Mas, uma frase carregada de profundo ódio chamou minha atenção. Os posts de melhor frase são especialidades da Tati, que as conhece de cor, mas eu resolvi arriscar.

A frase em questão é, na verdade, uma praga. E praga tem que ser assim, tem que deixar qualquer um com medo só de ouvir. Tem que fazer a pessoa se arrepender da própria existência. O ator Alan Rickman (btw, ótimo e já muito comentado por aqui) passa ódio sem precisar alterar nem um tom a voz.

“Very well, but remember this… I’ll be looking at you when you’re laid on the cross and the twelve blows are crashing down on your limbs. When the crowd is finally tired of your screams and wandered home, I will climb up through your blood and sit beside you. I will look deep into your eyes… and drop by drop I will trickle my disgust into them like burning acid until… finally… you perish.”

Minha tradução (perdoem). Pensa naquela pessoa que te fez mal e vai.

“Muito bem, mas lembre-se … Eu estarei olhando você deitado na cruz quando os doze golpes esmagarem seus membros. Quando a multidão finalmente se cansar dos seus gritos e for para casa, eu vou subir entre seu sangue e me sentar ao seu lado. Vou olhar profundamente em seus olhos … e vou despejar gota a gota meu nojo dentro deles como ácido até que…  finalmente…você pereça.”

Para não estragar o prazer de ver o filme com malditos spoilers, vá direto para o minuto 2:51 do vídeo e veja a cena que ele pronuncia a praga.

PS1:  Como pode? Ele é o infame xerife de Nottingham em Robin Hood (1991)!?
Af…

Todo mundo tem um passado condenável!

PS2:  Btw, alguém viu a versão Hood do Ridley Scott?

ps3: Perfume foi dirigido pro Tom Tykwe. Sim, você conhece ele.  Ele dirigiu e escreveu Corra, Lola, corra.

abraços,

@abelardobarbosa

Anúncios

Elsa & Fred por Melhor Infração

Virar vovô tem uma vantagem: a fragilidade aparente facilita você a cometer qualquer infração. Ninguém espera de um velhinho simpático uma atitude errada (a Lilian Witte Fibe bem sabe). 

A minha indicação de hoje é do filme Elsa & Fred, um filme argentino de 2005.

Fred é um viúvo hipocondríaco que descobre em Elsa, sua vizinha imprevisível, um novo amor. A Elsa é uma figura e eu gosto ainda mais do filme, porque o Fred é igual ao meu avô: aquele típico velhinho meio ranzinza.

O filme é imperdível. A história dos dois é emocionante. A infração, tenho certeza, todos já pensaram em cometer: ir a um restaurante chique e sair sem pagar a conta.

O simpático casal comete outra pequena infração no filme, entram na Fontana Di Trevi em uma linda cena em homenagem a La Dolce Vita. Tudo para terem momentos inesquecíveis e viverem a vida plenamente.

PS1: Aqui a cena homenageada de Federico Fellini com Anita Ekberg e Marcello Mastroianni:

PS2.: O monumento romano tem até filme no seu nome.

PS3.: E também já foi lembrado por aqui .

Abs,
@abelardobarbosa

De Volta para o Futuro II por Melhor Gadget

Demorei, mas cheguei.

Nesse mês, fãs do cinema dos nos 80 foram ludibriados com uma imagem. A imagem mostrava o painel do DeLorean marcando  5 de julho de 2010 como suposta data em que Marty McFly chegava ao futuro para salvar seus filhos em De Volta para o Futuro II. Fãs do mundo inteiro fizeram suas homenagens.

Tudo mentira – um hoax.

Para a data correta falta um pouco mais de cinco anos.
Essa introdução foi só para lembrar o quanto o filme (mesmo depois de 21 anos) têm fãs pelo mundo todo, principalmente aqueles que como eu eram crianças ou pré adolescentes na época.
Fiquei impressionado com a montagem e edição do filme e com uma sequência de filme tão boa quanto a anterior. (Tá, o III não é tão bom assim, mas não é ruim).
O primeiro filme para mim  é o melhor da trilogia (Por favor, não inventem de fazer o quarto filme e estragar tudo como em Indiana Jones), mas é na sequência que temos a minha indicação de hoje: O melhor gadget.

Que cinto de utilidades que nada.

O melhor gadget do cinema só poderia roubar a cena, ser quase um personagem. Bem na época do boom do skate, o hoverboard era tão cool que todos sonhavam em ter um no futuro. Eu não ligo que era um brinquedo de menina e mesmo que tinha uma falha:
“Hey McFly, everyone knows hoverboards don’t work on water!”
Vodpod videos no longer available.

O gadget foi tão bem aceito que acaba voltando para uma participação mais que especial na sequência do filme, o De volta 3. (minuto 6)

O artista francês Nils Guadagnin criou uma prancha voadora que é uma cópia exata (ou quase) do Hoverboard. A escultura usa um sistema Eletromagnético para que flutue e um sistema a laser que estabiliza o objeto no ar. #whaterveritmeans

Outro item do filme já havia sido reproduzido, a Nike fez uma homenagem ao filme e fez uma versão dos tênis mostrado no filme (claro, sem os cadarços automáticos).

P.S.: E a Claudia Wells que não quis ser a Jeniffer no De Volta 2 e foi substituída pela Elizabeth Shue?  Dizem que ela queria um cachê maior. Humpf...  #claudiawellsfail #quemehclaudiawellsnanoitehoje

Bjos,
@abelardobarbosa