Temple Grandin por Melhor História Real

Você reconhece a mulher dessa foto?

É a linda e talentosa Claire Danes, que se transformou em Temple Grandin, doutora em Ciência Animal, professora da Colorado State University e autista.

A história dessa mulher é incrível e foi muito bem contada pela HBO. Imagine a coragem e a determinação dela para ir tão longe em uma época (década de 60) em que o autismo não era nem um pouco compreendido.

O filme também destaca o papel da mãe dela, interpretada pela minha querida Julia Ormond.

Enquanto os médicos queriam internar a menina, Eustacia decidiu buscar uma escola que fosse capaz de entender e desafiar a filha. Afinal, dizia a mãe, ela era “different, but not less”.

Mesmo sem tocá-la, porque Temple não gostava de contato, Eustacia acompanhou cada conquista de uma das maiores especialistas em comportamento animal. 

É definitivamente um daqueles filmes que faz a gente ter vergonha das reclamações pequenas e daquela preguicinha do dia a dia, sabe?

PS1: Temple Grandin recebeu indicações em 15 categorias do Emmy, incluindo Melhor Filme para TV, Melhor Diretor, Melhor Atriz, Melhor Atriz Coadjuvante (Julia) e Melhor Ator Coadjuvante (David Strathairn).

PS2: Temple Grandin é hoje uma das 100 pessoas mais influentes do mundo, segundo a revista Times.  

Anúncios

Frame: TV Movies

Você notou a ascensão dos filmes e minisséries feitos para a TV? 

A qualidade das obras feitas por canais, como HBO e BBC, é tão incontestável, que novas oportunidades surgiram para jovens talentos, anônimos e tarimbadas estrelas de Hollywood.

É o caso, por exemplo, de Grey Gardens, que arrebatou Emmys e Golden Globes. O filme mostra a vida excêntrica de duas socialites, parentes de Jackie O, que viraram protagonistas de um documentário anônimo em 1973, no auge da sua decadência.

A história é muito bem construída, a produção é impecável e a atuação de Jessica Lange e Drew Barrymore, você sabe, irretocável. Ainda assim,  devo confessar que particularmente, não sou muito fã do filme. Sabe quando você cria muita expectativa?

Mas temos outros exemplos. Tom Hanks assinou a produção de John Adams e Paul Giamatti, que interpretou o ex-presidente americano, também foi premiadíssimo por sua performance.

A própria Helen Mirren fez, ao lado de Jeremy Irons, Elizabeth I e Kevin Bacon arrebatou um Globo de Ouro por Taking Chance.

De todas as produções, a minha preferida ainda é Pride and Prejudice, feita pela BBC em 1995, com Colin Firth (já falamos dela aqui no blog).

Fiquei curiosa, porém, para ver Temple Grandin. O filme estreia no próximo dia 6/02 nos EUA,   tem Claire Danes no papel principal e Julia Ormond, a eterna Sabrina, no elenco. 

PS1: Eu gosto muito da Claire Danes e acho que ela é subaproveitada em Hollywood. Vamos falar mais dela. Em breve. Titia promete, tá?  

PS2: Quem ainda não viu Grey Gardens tem a chance de assistir hoje, 28/01, no Cinemax às 0h.

PS3: Não confunda o Taking Chance do Kevin Bacon com esse Taking Chances

ME-DO!

PS4:  Momento Nacionalista – nós também temos ótimas produções. Dalva e Herivelto foi uma delas.