Cloud Atlas por Melhor Reflexão

A Viagem_TomHanks

Esse post é uma homenagem a um longa que foi completamente esnobado pela Academia. Nem em maquiagem foi considerado, o que é uma injustiça (vide o Tom Hanks aí em cima).

Verdade seja dita: A Viagem não é um filme fácil. Várias e diferentes histórias são contadas ao mesmo tempo e aos poucos, gerando uma boa confusão e uma única pergunta:

Imagem

Justiça seja feita: um dos narradores avisa logo no início que “enquanto minha experiência como editor me levou a um desdém por flashbacks e flash forwards e todos os truques,  eu acredito que se você puder, caro leitor,  estender sua paciência por apenas um momento, você vai descobrir que existe um método para este conto de loucura”.

E tem, acreditem. Quando as histórias evoluem e os pontos se conectam, A Viagem revela-se um filme bem bonito, principalmente para quem acredita em destino e vida após a morte.  E em vários trechos o espectador é levado a reflexão.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Sim, o elenco de A Viagem é um show à parte. Um pequeno grupo de talentosos atores completamente transformados para cada história.

Imagem

A história  preferida desse blog é a do advogado interpretado por Jim Sturgess, de Um Dia. Durante uma visita a uma fazenda, ele se depara com um escravo sendo açoitado. Sem nunca tê-o visto antes, o escravo o olha fixamente.  Mais tarde, o advogado pergunta o motivo.  A resposta causa arrepio:

Pain is strong, aye – but friends’ eyes, more strong

E foi esse encontro, do advogado com o escravo, que gerou essa cena:

Perfume – A História de um Assassino por Melhor Praga

Perfume (2006) é um filme belo. Sem grandes surpresas. Mas, uma frase carregada de profundo ódio chamou minha atenção. Os posts de melhor frase são especialidades da Tati, que as conhece de cor, mas eu resolvi arriscar.

A frase em questão é, na verdade, uma praga. E praga tem que ser assim, tem que deixar qualquer um com medo só de ouvir. Tem que fazer a pessoa se arrepender da própria existência. O ator Alan Rickman (btw, ótimo e já muito comentado por aqui) passa ódio sem precisar alterar nem um tom a voz.

“Very well, but remember this… I’ll be looking at you when you’re laid on the cross and the twelve blows are crashing down on your limbs. When the crowd is finally tired of your screams and wandered home, I will climb up through your blood and sit beside you. I will look deep into your eyes… and drop by drop I will trickle my disgust into them like burning acid until… finally… you perish.”

Minha tradução (perdoem). Pensa naquela pessoa que te fez mal e vai.

“Muito bem, mas lembre-se … Eu estarei olhando você deitado na cruz quando os doze golpes esmagarem seus membros. Quando a multidão finalmente se cansar dos seus gritos e for para casa, eu vou subir entre seu sangue e me sentar ao seu lado. Vou olhar profundamente em seus olhos … e vou despejar gota a gota meu nojo dentro deles como ácido até que…  finalmente…você pereça.”

Para não estragar o prazer de ver o filme com malditos spoilers, vá direto para o minuto 2:51 do vídeo e veja a cena que ele pronuncia a praga.

PS1:  Como pode? Ele é o infame xerife de Nottingham em Robin Hood (1991)!?
Af…

Todo mundo tem um passado condenável!

PS2:  Btw, alguém viu a versão Hood do Ridley Scott?

ps3: Perfume foi dirigido pro Tom Tykwe. Sim, você conhece ele.  Ele dirigiu e escreveu Corra, Lola, corra.

abraços,

@abelardobarbosa

Brilho de Uma Paixão por Melhor Declaração

Afinal, ele era John Keats. 😀

I almost wish we were butterflies, and live but three summer days – three such days with you I could fill with more delight than fifty common years could ever contain.

PS1:  Brilho de Uma Paixão é baseado na história de Keats e Fanny Brawne. Não agrada qualquer público, mas aquele apaixonado por romances épicos, poesia e amores castos.

PS2: Fanny ficou noiva de Keats e seu luto durou seis anos. Ela ficou amiga da irmã de Keats e, após a morte do irmão e da mãe, foi ver em Bolougne, na França, onde se casou com um comerciante abastado (adoro essa palavra). Com Louis Lindon, teve três filhos. Morreu em 1865, aos 65 anos, 44 após o falecimento do poeta.  

PS3: Quando o filme foi lançado lá fora, foi feito um concurso de cartas de amor. Veja o resultado no site oficial.

PS4: Em carta ao irmão, Keats a descreveu como ” beautiful, elegant, graceful, silly, fashionable and strange”. Strange é a minha parte favorita. 😉