Sem Reservas por Melhor Chef

A equação é símples, minha gente:

Aaron Eckhart + Gastronomia + Puccini = Melhor Chef!!

Quer uma canjinha?

PS1:  Nessun Dorma é a música mais linda do mundo! Viva Pavarotti! Viva Puccini! Viva Lucca!

PS2: Falei um pouco disso aqui.

Anúncios

Frame: Oscar

Então, vamos falar do Oscar. Só que, mais do apontar os meus favoritos, eu queria relembrar os grandes momentos dessa festa.

Regras do Jogo

1) Qualquer comentário é bem-vindo.

2) Coloquei aqui aqueles que lembro, que vivi e torci. E isso quer dizer que alguns clássicos, como O Poderoso Chefão e E O Vento Levou, não serão citados. (porque eu não sou tão velha assim…)

3) Os vídeos mais antigos foram desativados e você terá que ver no youtube. Como diz a Pink, Please don’t leave me.

4) Os meus critérios são completamente subjetivos. Sim, os seus também podem ser.

BEST PICTURE

Vocês sabem que meu coração pertence a Bastardos Inglórios, mas não acho que esse ano será do Tarantino.

1994, porém, foi um grande ano. Essa categoria foi apresentada por Robert De Niro e Al Pacino (eu sei: OMG! OMG! OMG!) e os concorrentes eram Forrest Gump, 4 Casamentos e 1 Funeral, Pulp Fiction (Melhor Overdose e Dança), Quiz Show e Um Sonho de Liberdade.

E o ganhador é um clássico, daqueles que a gente cita frases até hoje:

Actor in a Leading Role

Meu feeling diz que esse ano será do Jeff Bridges. A minha torcida é pelo Colin Firth (na verdade, eu só não fico feliz se o Jeremy Renner, de Guerra Ao Terror, ganhar. Nada pessoal, mas acho que pode comer um pouco mais de grama antes de levar a estatueta para casa).

Há muito tempo ele não faz um filme bom, mas tudo bem. Depois de Hannibal Lecter, Anthony Hopkins pode tudo.

Eu aposto, porém, que você se lembra do ROBERTO!

  

E ainda, na noite de homenagem ao Sidney Poitier

o Oscar (oh, I Love My Life!) do Denzel.

Actor in a Supporting Role

Dá um aperto no peito pelo Christopher Plummer, mas it’s a Bingooo. Christoph Waltz é o cara!! 

A lista de atores coadjuvantes é impressionante, mas alguém é páreo para o Coringa do Heath Ledger?

And this is for his beautiful Matilda! \o/

 Actress in a Leading Role

 Todo mundo sabe que eu amo a Meryl. E ela passou por todo o estresse pré-premiação 16 vezes e pela frustração de voltar com as mãos abanando 14 vezes.

Meryl darling, I’m sorry. Receio que essas estatísticas vão aumentar, porque eu também estou torcendo para a Sandra.

E o momento? Ah, a Julia né? Adoro Julia, adoro o sorriso, a gargalhada, a veia estourando na testa, adoro o humor, adoro o vestido, love it all!!

Evocando o passado rapidamente, um bocadinho de Audrey (ainda mais por A Princesa e O Plebeu que foi um dos primeiros posts desse blog —->veja aqui.)

Actress in a Supporting Role

Eu não vou escolher a Mo’Nique, porque eu tenho medo dela. So the Oscar goes to… Maggie Gyllenhaal!!

 E escolher uma ex-ganhadora foi difícil. Teve a Jennifer Hudson (porque eu gosto dela, gosto de Dreamgirls e gosto de American Idol),

a Catherine Zeta-Jones (que quase deu a luz na premiação) e

a Penélope.

Animated Feature Film

Eu torço por UP e o adorável Mr. Fredricksen(cuja voz é do Christopher Plummer).

 Essa categoria passou a existir em 2001 somente – tanto é que A Bela e A Fera concorreu a Melhor Filme no passado.

Directing

Tarantino, bóvio!

 E um momento marcante (e idiota, mas conveniente) foi o James Cameron gritando I’m the king of the world!

(E, se ele já se sente o rei do mundo, ele não precisa ganhar agora, certo?)

Writing (Original Screenplay)

Tarantino por Bastardos Inglórios!

 

E quem esquece dessa dupla?

Music (Original Song)

Nine! Nine! Nine!

Essa é uma das categorias que eu mais gosto e costuma nos brindar com apresentações marcantes, como a Madonna nervosa e desafinada com You Must Love (Evita),

um Aerosmith comportado (Armageddon),

a Whitney engolindo a Mariah (O Príncipe do Egito),

e Celine e Andrea Bocelli, cantando a música da animação A Espada Mágica (lembro que a Meryl chorou!! ´É, sim, de tão lindo!!).

Aliás, você pode não gostar dela, mas Celine reina no Oscar. Cantou a música de A Bela e A Fera,

 do Titanic e

de Íntimo e Pessoal.

Nesse ano (1997), ela cantou ainda I Finally Found Someone, de O Espelho Tem Duas Faces. A música é da Barbra, que se recusou a comparecer a cerimônia por não ter sido indicada a melhor atriz. Bafão!!!

Essa é a original, com Barbra e Bryan Adams.

Adooooooooooooooooooooooro!

PS1: Outro bafão, desta vez do ano passado, a Jen Aniston toda sorridente em frente ao Brad.

PS2: Tem o beijão do Adrien Brody na Halle ‘Storm’ Berry.

PS3:  o escândalo do Cuba Gooding Jr.

PS4: E aí?

Novidades no Amor por Melhor Crianças

Essa foi uma escolha completamente descompromissada que fiz na Blockbuster. Quando Novidades no Amor estreou nos cinemas, eu senti muita preguiça. É, sim… parecia muito óbvio, muito nhenhenhem…

O pôster não ajudava…

nem o trailer que apelava para At Last (Fala sério né?)

 Confesso, porém, que tive uma grata surpresa no último fim de semana. O filme é bem cativante, fala sobre segunda chance e sobre o “momento certo”.  (Se você não viu o filme ou não gosta de spoilers, não veja ó próximo vídeo)

E um ingrediente fundamental dessa comédia romântica são as crianças, os filhos de Catherine Zeta-Jones no filme. Infelizmente não há imagens disponíveis, mas acreditem em mim.

As crianças arrancam as melhores gargalhadas: Sadie é sádica e sarcástica (sugere ao irmão comer pombos com mostarda e leite azedo e se deliciar com os seus pequenos intestinos e ossinhos), enquanto o garotinho, Frankie, é um bonachão que decide mudar o nome para Pablo.

PS1: Eu estou um pouco decepcionada por não ter imagens para postar. #prontofalei.

PS2: Espero compensar com comentários inteligentes (sic). Tipo, aos 41 anos, Catherine mostra-se uma coroa beeem enxuta. É impressionante, porém, como ela tem pernas finas. Sabe quandos os joelhos se sobressaem “nas varetas desconjuntadas” (essa expressão eu peguei emprestada do Alcino e da Vivian, minha ex-chefe). Pela primeira vez, eu realmente preferi os meus “coxão”.

PS3: Como está na Broadway, Cathy está emagrecendo mais ainda, conforme comprovou o Daily Mail. Ela está protagonizando o espetáculo A Little Night Music, baseado no filme de Ingmar Bergman Smiles of a Summer Night.

PS4: Mesmo meio sem sal, o Justin Bartha é uma graça e por isso a gente faz um esforço  para engolir que o Aram tem 25 anos. Tudo pelo amor ao cinema e carinho ao Justin!

Chicago por Melhor Frase e Melhor Versão

É como a Catherine  diz:

You can like the life you’re living, you can live the life you like.

and all that jazz.

Alta Fidelidade por Melhor Mania

O que eu mais gosto nesse filme? A mania de fazer listas.

Top five things I miss about Laura:  1 – Sense of humor. Very dry, but it can also be warm and forgiving. And she’s got one of the best all time laughs in the history of all time laughs, she laughs with her entire body.  2-  she’s got character. Or at least she had character before the Ian nightmare. She’s loyal and honest, and she doesn’t even take it out on people when she’s having a bad day. That’s character. 3 – miss her smell, and the way she tastes. It’s a mystery of human chemistry and I don’t understand it, some people, as far as their senses are concerned, just feel like home. 4 – I really dig how she walks around. It’s like she doesn’t care how she looks or what she projects and it’s not that she doesn’t care it’s just, she’s not affected I guess, and that gives her grace. And 5; she does this thing in bed when she can’t get to sleep, she kinda half moans and then rubs her feet together an equal number of times… it just kills me. Believe me, I mean, I could do a top five things about her that drive me crazy but it’s just your garden variety women you know, schizo stuff and that’s the kind of thing that got me here.

E não é só uma mania. Tem todo o cuidado por trás (The making of a great compilation tape, like breaking up, is hard to do and takes ages longer than it might seem. You gotta kick off with a killer, to grab attention.  Then you got to take it up a notch, but you don’t wanna blow your wad, so then you got to cool it off a notch. There are a lot of rules)  e o indescritível prazer de dividir isso com os amigos:

PS1: Esse post é dedicado aos bons amigos e a todas as listas que a gente já fez em uma mesa de bar.

PS2: Eu gosto mais do Nick Hornby na telona do que nos livros. #prontofalei.

PS3: Nada de citar o slogan de Tostines. Daqui pra frente é Alta Fidelidade: What came first, the music or the misery? People worry about kids playing with guns, or watching violent videos, that some sort of culture of violence will take them over. Nobody worries about kids listening to thousands, literally thousands of songs about heartbreak, rejection, pain, misery and loss. Did I listen to pop music because I was miserable? Or was I miserable because I listened to pop music? 
 

PS4: O Jack pode cantar, mas eu ainda sinto vergonha alheia.

PS4: Quem viu o último American Idol pôde acompanhar a ‘performance’ do Jack com a Gladys Knight, Ben Stiller e o #1 (que, como sempre, roubou a cena né?) para promover Trovão Tropical.