You Don’t Know Jack por Melhor Ator

 

Ok ok, pode me xingar. Estou chovendo no molhado.  Mas me dê uma chance. Tudo começou assim:

 Eu bem sabia que o Al Pacino não tem há anos o rostinho bonito do Michael Corleone

..muito menos a imponência do Coronel Frank Slade.

Também tinha visto umas fotos recentes na qual ele mais parece um louco.

Só que nada disso importa tendo o currículo dele, certo? A gente passa por cima de tudo e acumula posts só para reforçar, uma vez mais, como o cara é bom pra &¨%@%¨¨&.

E, depois de assistir a  You Don’t Know Jack, primeiro filme de Al para a TV, eu não resisti.

A expressão dele no poster já é impagável e um bom petisco do que você vai ver na tela.

A história do Dr Morte eu já conhecia – não profundamente, mas lembro vagamente do noticiário da época e da discussão que gerou sobre eutanásia também em casa.

Apesar de causar uma certa angústia ao mostrar doentes terminais, o filme é o show do Al Pacino. Como é bom vê-lo atuar!!!

Para ficar parecido com o o Dr Jack Kervokian, ele assumiu a cabeleira branca, ficou encurvadinho, emagreceu bem em alguns  trechos e, dizem os especialistas, mostrou o sotaque característico do Michigan.

 

Mesmo com outros bons atores no elenco (John Goodman e Susan Sarandon, por exemplo), Al brilha mais do que ninguém.

PS1: You don’t know Jack estreou no último sábado na HBO. Confira a programação completa aqui.

 PS2: Depois do Festival Shakespeare in the Park, Al Pacino levará o O Mercador de Veneza para a Broadway. Segundo a Agência EFE, ele está sendo superelogiado pela atuação. Dãããã….

PS3: Já falei de outros filmes para TV, lembra? Se não, clique aqui.

Anúncios

NY Eu Te Amo por Melhor Encontro

Perambulando por São Paulo, eu fiquei com uma vontade enorme de rever esse filme. Na primeira vez, saí do cinema com a sensação de “quero mais”.  Aquelas histórias simplesmente não podiam terminar assim, tão rápido…

Nessa segunda vez, eu consegui, a muito custo, definir quais os meus segmentos preferidos. Mais do que a cidade e o amor, essas histórias celebram, para mim, o encontro, aquele momento que faz a vida tão especial ou tão particular.

Eu adoro, por exemplo, a história da Lydia.  Eu gosto como fica alheia a cidade e aos outros passageiros do metrô, da análise que faz da situação e da coragem para encontrar o desconhecido e levar adiante uma relação improvável.  

E o garoto…

… que definiu assim seu encontro: Central Park covers almost 843 acres. It is 6% of Manhattan. There are also 127 000 method actresses in New York, which is is 2% of the population. An on the night of senior prom, these two elements  came together to make one perfect wish come true. God, I love NY”.

 

Eu gosto do segmento da Anna, mas o que pega em mim está logo no início, quando ela diz: “You know this is what I’ve always liked about NY – these litlle moments on the sidewalks smoking, thinking about your life…it makes you appreciate the city better. You can watch the buildings, you can feel the air, look at the people, sometimes meet somebody you feel like talking to…”

Observar, reconhecer e apreciar pequenas coisas,  pequenas momentos… e por falar em momentos, esses dois sempre me fazem chorar.

Eu gosto como eles brigam e implicam um com o outro o tempo todo, mas gosto, principalmente, da cumplicidade… como, sem explicações, sem palavras, o outro entende o que está sentindo.

 

PS1: NY Eu Te Amo  foi dedicado ao Anthony Minghella, que escreveu a história dirigida por Shekhar Kapur e interpretada por Julie Christie e Shia LaBeouf.  O diretor indiano escreveu em seu blog: “He told me his film was about the value of life and how people sometimes just throw away their lives, unable to look beyond into the real beauty of it. I will direct the film now — with Anthony in my heart and in presence of his soul.”
 

PS2: Só agora, escrevendo esse post, eu me dei conta que essa Julie Christie

… é a Julie Christie do Dr Jivago.

Que amadora, né?

PS3: Natalie Portman, que atuou no segmento dirigido por Mira Nair, escreveu e dirigiu a história da menininha com o pai dançarino. Eu adoro as duas histórias, btw.

PS4:  Drea de MatteoJacinda Barrett são duas lindas e talentosas atrizes muito mal aproveitadas por Hollywood. A primeira já fez Joey e Os Sopranos e está hoje em Desperate Housewives. A segunda você deve reconhecer de Bridget Jones 2, Poseidon e Um Beijo a Mais.

PS5: Outro ponto alto da história de Anna, além do casal de atores (é bom ressaltar), é a trilha. Eu adoro No Surprises, do Radiohead, e acho que toda história vai ficar mais interessante e emocionante com esse fundo.

 PS6: O trailer