Ghost por Melhor Prova

Nada de sensualizar com argila ou dançar com a Whoopi achando que é o Patrick. Para mim, “a” cena de Ghost é a que Sam prova para Molly que está “entre nós”.

Emocionante, não?

PS: Prestou atenção na música? Apesar de Unchained Melody ter arrebentado a boca do balão, a trilha de Ghost é muito boa e concorreu ao Oscar daquele ano. A que toca nessa cena chama-se Molly e, assim, como as outras, foi composta por Maurice Jarre, um francês danado, que já havia ganho o Oscar por  Doutor Jivago e Lawrence da Arábia. Recebeu, ainda, outras sete indicações. Ele morreu em 2009.

PS2:  Falando em Unchaneid Melody, quem assiste a Drop Dead Diva viu uma nova versão da música, feita por Andy Davis.

PS3: Os ingleses reinventaram Ghost 21 anos depois do filme. O musical foi lançado primeiro em Manchester, sob a direção de Matthew Warchus, que ganhou um Tony por God of Carnage.  Ainda em 2011, o espetáculo invadiu o West End, em Londres. Os americanos não resistiram e Ghost O Musical estreou na Broadway em abril 2012.

Anúncios

Melhores Tweets: de 10 a 14 de abril de 2012

Melhor anúncio no Twitter

Filme Favorito

 

 

 

 

 

Benção

Frase da Semana

Proposta Indecente por Pior Compra

Reparou?! É a primeira vez em quase 3 anos de existência que esse blog se propõe não a indicar o Melhor, mas o Pior (Será que vou levar toco da editora chefe?!).

O Telecine colocou na programação de seu canal água com açúcar, o Telecine Touch, um clássico do gênero, Proposta Indecente (1993).  E tem coisas que só um filme dos anos 90 faz por você. Se você não nasceu nessa década, provavelmente assistiu ao filme e provavelmente gostou, chorou, se excitou, se escandalizou com a tal proposta feita por um Robert Redford com muito menos rugas que hoje e se perguntou o que faria no lugar da Demi ou do corno marido dela, Woody Harrelson.

Mas ao revê-lo, quase 20 anos depois, você talvez ache que o célebre vestido da Demi é na verdade bem breguinha, que o romance é uma melação chata, que um milhão é uma mixaria e não dá nem para comprar um kit no Jardim Paulista #ryca Mas talvez  o maior absurdo seja o destino dado a quantia, indicada hoje aqui como a Pior Compra do Cinema.

Porque, né?!  se hoje em dia você não está disposto a pagar 1 milhão nem para comer fazer amorzinho gostoso com a Demi More, pagaria por essa fofura?!

Abs,

Filipe

Frame: Os Mais Estilosos do Cinema

Em tempos de SPFW e Sr. e Sra. Moore desfilando por  terras canarinhas, lembramos como a  moda influencia a sétima arte e vice-versa. E não estamos falando só de Sex and The City. A GQ, uma espécie de Vogue masculina, pediu para seus contatos estilosos escolherem os personagens dos filmes que mais os inspiraram. Eis os indicados deles:

1. Harrison Ford em Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida (1981)

2. Paul Newman e Robert Redford em Butch Cassidy e Sundance Kid (1969)


3. O elenco de  Tubarão (1975)

4. Donald Sutherland em Inverno de Sangue em Veneza (1973)

5. Robert Downey Jr. em  Homem de Ferro (2008)

6. Edward Fox em O Dia do Chacal (1973)

7. Daniel Craig em 007  Cassino Royale (2006)

8. O elenco de O Leopardo (1963)

9. O elenco de A Rainha Margot (1994)

E aí? Inspirou? Qual seu look preferido?

Abs,

@abelardobarbosa

Ranking: 10 filmes do Sundance Film Festival

Confira os filmes que estão “causando”, segundo Richard Lawson.

10. The Future

Miranda July (já retratada nesse post) cria, dessa vez, a história de um casal unido por um gato, o verdadeiro narrador dessa história.

9. Homework

Alicia Silverstone renasce das cinzas, ao lado da Sra Tom Hanks (Rita Wilson),  do gatíssimo Blair Underwood e da sobrinha da Julia (Emma Roberts), em um filme que trata da vida de um adolescente que aprende um pouco mais sobre essa vida quando conhece “a mulher dos seus sonhos”.

8. Salvation Boulevard

Comédia sobre um ex-hippie que tem que ir para o limbo após decidirem que ele não é tão santo quanto o resto da igreja. Elenco, no mínimo, interessante: Jennifer Connelly, Marisa Tomei, Greg KinnearPierce Brosnan.

7. Martha Marcy May Marlene

Elizabeth Olsen (mais uma?) protagoniza a história da jovem que tenta reconstruir sua vida após fugir de um culto nebuloso.

6. The Ledge

E a religião é, de novo, mote de um filme, que tem outra fênix no elenco, Liv Tyler.  O  thriller mostra a violência desencadeada por um argumento apresentado por ateu a um cristão conservador.

5. Life in a Day

Imagine um filme feito a partir de fragmentos enviados por pessoas de várias partes do mundo.  A proposta? Eles deveriam mostrar o que estavam fazendo em 24 julho de 2010. A colcha de retalhos foi costurada pelos diretores Kevin MacDonald e Ridley Scott e estreia hoje (27/01) em Sundance, com transmissão ao vivo no youtube.

4. Red State

Não sei se é o fim do mundo, mas a religião é também tema de um  filme de terror, liderado por Kevin Smith, sobre  um grupo de pessoas que se vê frente a frente com o fundamentalismo extremo.

3. Higher Ground

Nhé! Vera Farmiga dirige e protagoniza o drama de uma mulher que dedica 20 anos da sua vida ao fundamentalismo. Um dia ela ela decide partir… to infinity and beyond! Ok, ok. Foco.

2. Page One

Documentário feito a partir da experiência de Andrew Rossi em um departamento do  New York Times. Nas palavras de Richard  Lawson, “Should be thrilling for media nerds everywhere“.

1. Margin Call

A crise financeira de 2008  é revisitada nesse thriller liderado Kevin Spacey (Que prazer rever você!!) .  Demi Moore, Mary McDonnell e o incansável Stanley Tucci também integram o elenco.

O Primeiro Ano do Resto de Nossas Vidas por Melhor Cafa

Hoje é aniversário do Rob Lowe  e, por isso, eu resolvi relembrar um clássico: seu personagem Billy, em O Primeiro Ano do Resto de Nossas Vidas.

Porque malandros existem aos montes, mas não como esse:

Could I be so bold to ask for a going away present? 

PS1: Esse filme é muito velho, é de 1985.  Não é só o Rob que está um bebê. A Demi Moore, o Judd Nelson e o Emilio Estevez também.

PS2: Falando nele, você sabe que ele é filho do Presidente Bartlet Martin Sheen e irmão do Charlie Harper Sheen né?

PS3: Voltado ao filme, eu gosto da dancinha do Kevin e da seguinte discussão idiota:

Kevin: Love, love, you know what love is? Love is an illusion created by lawyer types like yourself to perpetuate another illusion called marriage to create the reality of divorce and then the illusionary need for divorce lawyers.

(…)

Kirby: You are just pissed off and bitter because you have not had sex in… how long? What is it… a year… maybe two? Refresh my memory please, Kevin. Haven’t you heard of the sexual revolution?
Kevin: Who won, huh? Nobody. Used to be sex was the only free thing, No longer. Alimony… palimony… it’s all financial. Love is an illusion.
Kirby: It’s the only illusion that counts, my friend.
Kevin: Says who?
Kirby: Anyone who’s been in love.
Kevin: Love sucks.
Kirby: So does your attitude.

PS4: Veja o trailer:

PS5: O Rob é um dos poucos homens que ficam ainda mais bonitos com a idade, não?

PS6:  Eu adoro o  Robert McCallister e fico triste que ele vai nos deixar. #prontofalei