Até a Eternidade por Melhor Escolha

Ate-a-eternidade_Les petits mouchoirs

Antes de mais nada, há três coisas que você PRECISA saber sobre esse filme:

  1. O Elenco: Até a Eternidade reúne a nata do cinema francês contemporâneo: Marion Cotillard (Piaf – Um Hino ao Amor, Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge, Um Bom Ano), François Cluzet (Intocáveis), Jean Dujardin (O Artista), Gilles Lellouche (Os Infiéis, Therese D) e Laurent Lafitte (Os Belos Dias).  Eu sei, eu sei, só faltou Louis Garrel,  Romain Duris e Audrey Tautou. 
  2. O Cenário: aquele balneário é capaz de alimentar os sonhos de 98,7% da população mundial.
  3. O Segredo: Fique tranquilo. Não vou contar o final do filme, mas o segredo dos franceses: a despretensão. Reparem bem e deixe pré-conceitos de lado. No dia a dia, o glamour deles não é feito de alta costura e maquiagem. É feita de gente de verdade, que usa roupas como as nossas, às vezes até amassada, que combina com o cabelo despenteado. Você pode dizer que o charme está na confiança, mas está, de fato, na despretensão – de ser o que é, de parecer o que é e nada mais.Dito isso, Até a Eternidade foi lançado em 2010 e conta a história de um grupo de amigos durante as férias de verão. A primeira escolha deles é manter os planos de deixar Paris, mesmo após um deles sofrer um acidente de carro. Enquanto ele se recupera no hospital, os outros viram uma verdadeira família italiana, com  muita gritaria, confusão, música, sol e escolhas. 

    Confie em mim: esse filme não foi o mais visto na França naquele ano à toa.

    PS: Está disponível no Netflix.

Os Intocáveis por Melhor Dança e Melhor Reflexão

Du-vi-do que alguém não tenha mexido um dedinho durante essa cena.

 

Você já parou para pensar quantas vezes julgou errado uma pessoa? Ou nem deu chance para alguém mostrar seu valor? Pois esse é, para este blog, o mote desse filme. O que um meliante que vive de seguro-desemprego (Driss) pode fazer por um milionário tetraplégico (Philippe)? Bem, melhor vc ver o filme.

 

PS: Nove semanas após a sua estreia, Os Intocáveis tornou-se o segundo filme francês mais visto – só não superou (ainda) A Riviera não é Aqui.

PS2: Omar Sy, o Driss, ganhou o César por esse filme.