Fuga para a Vitória por Melhor Desculpa

Se você assistiu ao Esporte Espetacular hoje, também deve ter chamado sua atenção a reportagem com o Pelé.  Você provavelmente se lembrava da participação do Rei no filme dos Trapalhões, mas em um com Michael Caine e Sylvester Stallone?

Sim, sim, sim. Loucura, loucura, loucura.

Fuga para a Vitória foi lançado em 1981 e dirigido por John Huston, que tem simplesmente dois Oscar no currículo. 

O filme usa o futebol como pano de fundo da II Guerra Mundial. Além de “humilhar” o Stallone, como mostra a matéria do Esporte Espetacular, Pelé ensina até ao técnico. Veja só:

E dá até bicicleta:

Pega essa, Maradona!

O Casamento de Romeu e Julieta por Melhor Mentira e Melhor Música

Quem diz que o cinema nacional não presta certamente não viu esse filme. É um clássico, minha gente!

Digo mais: deveria ser tão adorado quanto Amor ao Jogo, do Nick Hornby

Nada contra a Luana, mas Marco Ricca e Luis Gustavo dão um show  como torcedores fanáticos do Corinthians e Palmeiras, respectivamente.

Até hoje, passados seis anos do lançamento, eu não sei se gosto mais do episódio no Japão

…ou de quando Romeu decide acabar com a mentira.

E já que futebol é “massa”, que tal louvar a música das arquibancadas?

Popópópópó…

PS1: Provalmente os fãs fervorosos do Nick Hornby, e eu conheço alguns, não vão gostar da comparação que fiz. Sooooooooo sorry!

PS2: Vocês sabiam que o Luis Gustavo é sueco? Sim, ele nasceu em Gotemburgo e veio ainda criança para o Brasil.

PS3: O filme  O Casamento de Romeu e Julieta foi baseado no livro do Mario PrataPalmeiras, um caso de amor.

Hooligans por Melhor Mania

hooligans3

Fiquei em dúvida como nomearia essa categoria, ainda mais quando ela é inaugurada com esse filme. Poderia a palavra mania dar conta de tanto fanatismo e/ou doença?

O Michaelis convenceu-me que sim. Mania é a Desordem mental caracterizada por grande atividade psicomotora, excitação, exaltação e instabilidade da atenção. 2 Modo excêntrico de pensar. 3 Extravagância. 4 Esquisitice, excentricidade.

Green Street Hooligans, da diretora alemã Lexi Alexander, conta a história de Matt Bruckner (Elijah Wood, que por sinal eu odeio) que vai morar em Londres e acaba conhecendo a doidera dos torcedores fanáticos do West Ham, tradicional clube de futebol inglês, que canta no seu hino “I’m forever blowing bubbles, pretty bubbles in the air.  They fly so high, nearly reach the sky And like my dreams they fade and die (…)”.

Muito louca essa mania!