Diário de uma Paixão por Melhor Declaração e Melhor Dedicatória

Há quase um mês que procuro na Blockbuster esse filme. O motivo, confesso com vergonha, não é nada nobre: Ryan Gosling é a minha nova obsessão. Além disso, durante uma ampla e profunda (sic)  navegação na web, li em um site que esse é o romance preferido de Mark Wahlberg (veja aqui).

Declarações constrangedoras à parte, encontrei o filme na última terça-feria e me surpreendi. O elenco, além de Gosling, é muito bom — tem Gena Rowland, James Garner e Joan Allen.

    

A história é de Nicholas Sparks, responsável pelos best-sellers A Última Música, Querido John e Noites de Tormenta.  Sim, as três obras também viraram filmes, o que é motivo de sobra para quem gosta de torcer o nariz para qualquer coisa mais comercial. Não é o meu caso.

        

Diário de Uma Paixão é definitivamente o meu Nicholas Sparks preferido e deve em breve entrar na minha DVDteca.  Há tempos não chorava tanto com uma obra e, por isso, se você ainda não assistiu a esse filme, PARE AGORA DE LER ESSE POST.

É isso mesmo!  Assista ao filme e depois volte deixar o seu comentário. Eu juro que não vai se arrepender.

Se já viu, então você conhece essa cena, a mais famosa do filme:

Young Allie: Why didn’t you write me? Why? It wasn’t over for me, I waited for you for seven years. But now it’s too late.
Young Noah: I wrote you 365 letters. I wrote you everyday for a year.
Young Allie: You wrote me?
Young Noah: Yes… it wasn’t over, it still isn’t over

Para mim, ela só é inferior a outra declaração, manifestada, de uma forma talvez desarticulada, durante uma discussão:

Young Noah: Would you just stay with me?
Young Allie: Stay with you? What for? Look at us, we’re already fighting.
Young Noah: Well that’s what we do, we fight… You tell me when I am being an arrogant son of a bitch and I tell you when you are a pain in the ass. Which you are, 99% of the time. I’m not afraid to hurt your feelings. You have like a 2 second rebound rate, then you’re back doing the next pain-in-the-ass thing.
Young Allie: So what?
Young Noah: So it’s not gonna be easy. It’s gonna be really hard. We’re gonna have to work at this every day, but I want to do that because I want you. I want all of you, for ever, you and me, every day. Will you do something for me, please? Just picture your life for me? 30 years from now, 40 years from now? What’s it look like? If it’s with him, go. Go! I lost you once, I think I can do it again. If I thought that’s what you really wanted. But don’t you take the easy way out.
Young Allie: What easy way? There is no easy way, no matter what I do, somebody gets hurt.
Young Noah: Would you stop thinking about what everyone wants? Stop thinking about what I want, what he wants, what your parents want. What do YOU want? What do you WANT?
Young Allie: It’s not that simple.
Young Noah: What… do… you… want? What do you want?
Young Allie: I have to go now.

E não há quem não se emocione com a dedicatória mais triste e mais linda:

The story of our lives, by Allison Hamilton Calhoun. To my love, Noah. Read this to me and I’ll come back to you.

PS1: O beijaço de Ryan e Rachel ganhou o MTV Movie Awards e foi repetido no palco do evento pela dupla:

Se inveja matasse…

PS2: Enquanto Rachel se prepara para o lançamento do seu primeiro Woody Allen (comentei aqui), my darling Ryan filma com George.

Que tal?

PS3:  Eu me recuso a comentar um eventual romance dele com a Michelle Aproveitadora Williams (prefiro perder para a Olivia), mas não posso deixar de citar a ótima performance em Blue Valentine.

Ranking: Mulheres com + de 50

O Estadão uma bela matéria sobre a falta de papéis para mulheres maduras em Hollywood.  O foco foi a Ellen Barkin, que “se sentiu nua diante da câmera” ao interpretar uma estrela de cinema decadente em Shit Year, de Cam Archer

Aos 56 anos, Ellen já ficou seis anos sem conseguir um bom papel.  Pensou em desistir até mudar de lado e trabalhar atrás das câmeras como produtora ou diretora.

Todo mundo sabe que Meryl Streep é uma exceção nessa indústria.  Consegue bons papéis, atrai boas histórias e, principalmente, rende milhões aos estúdios.

Então,  o desafio que me coloquei  foi fazer um ranking de 15 atrizes acima dos 50 anos, que merecem, por sua beleza e talento,  mais atenção.

São elas:

15. Vanessa Redgrave, 73.

14. Ellen Burstyn,  78

13. Barbra Streisand, 62.

12. Betty White,  88.

11. Angela Basset, 52

10. Jessica Lange, 61.

9Sally Field, 64.

8.  Gena Rowlands. 80

7. Joan Allen, 54

6. Maggie Smith, 76

5. Judi Dench, 76

4. Shirley MacLaine, 76

3 Emma Thompson,  51

2. Annette Benning, 52

1. Susan Sarandon, 64

E aí? Ficou faltando alguém? Quem é a sua preferida?