Ranking: 10 filmes Anti-Dia dos Namorados

É isso aí, Marilyn, my dear. Neste blog, solteiro não fica deprê por causa de Dia dos Namorados. Nós agradecemos por tudo que nós somos.  Nós celebramos a vida e a independência.

 

Portanto, no próximo domingo (12/06),  esqueça os corações e filmes melosos. Crie um clima de romance para você, acompanhado ou não por amigos.

Esses 10 filmes provam que não só a vida a dois vale a pena:

10. Clube das Desquitadas.

 

Entende do que eu tô falando?

 

9. Sob o Sol de Toscana

Porque é possível (aprender a) viver sozinho.

8. Yentl

Correr atrás do que realmente importa.

7. Elizabeth

Chegar looooonge.

 

6.  Shirley Valentine

Descobrir-se. Redescobrir-se.

 

5. As Férias da Minha Vida

Arriscar-se, ousar realizar sonhos, mesmo que eles não sejam do jeitinho que imaginava.

 

4. O Sorriso de Monalisa.

Quebrar paradigmas (por mais difíceis que sejam).

 

3. UP

Viver inesperadas aventuras com novos amigos.

 

2. Thelma & Louise


Aproveitar os velhos.

 

1. Curtindo a vida adoidado

Entendeu?

PS1: Com colaboração de Cris Camarena.

PS2:  Confira as indicações que Curtindo a Vida Adoidado, Sob o Sol de Toscana e Shirley Valentine já receberam nesse blog.

PS3: Faltou algum filme? Deixe o seu comentário.

Anúncios

Minhas Tardes Com Margueritte por Melhor Encontro


Do encontro inusitado do bronco com a velhinha cheia de vida, risadas e saudade da bisa.

 

 

PS: Para a minha bisa.

PS2: WordPress, favor parar de postar as imagens como bem entende.

Paris, te amo por Melhor Ligação e Melhor Solidão

Depois de NY Eu te Amo, quis rever Paris, Te Amo.

Para mim, este demora um pouco a engrenar. Não consigo me envolver com as primeiras histórias – só admirar a cidade.

Gosto, porém, de vários segmentos:

– o das Tulherias, dirigido pelos irmãos Coen e protagonizado por Steve Buscemi.

– o da Bastilha, da espanhola Isabel Coixet

–  o da Praça das Vitórias, com os maravilhosos  Juliette Binoche e Willem Dafoe.

– o do cemitério, em Père-Lachaise, com Rufus Swell interpretando um texto de Wes Craven.

– o do Quartier Latin,  com roteiro de Gena Rowland e direção de Gérard Depardieu.   

Só que nenhuma dessas histórias me emocionou tanto quanto a escrita pelo alemão Tom Tykwer e o do americano Alexander Payne.  

Na primeira, Francine (Natalie Portman) liga para o namorado e diz:

Thomas, Listen. Listen. There are times when life calls out for a change. A transition. Like the seasons. Our spring was wonderful, but summer is over now and we missed out on autumn. And now all of a sudden, it’s cold, so cold that everything is freezing over. Our love fell asleep, and the snow took it by surprise. But if you fall asleep in the snow, you don’t feel death coming. Take care.

No último segmento, a melhor e mais triste solidão de Carol, interpretada por Margo Martindale.

Sitting there, alone in a foreign country, far from my job and everyone I know, a feeling came over me. It was like remembering something I’d never known before or had always been waiting for, but I didn’t know what. Maybe it was something I’d forgotten or something I’ve been missing all my life. All I can say is that I felt, at the same time, joy and sadness. But not too much sadness, because I felt alive. Yes, alive. That was the moment I fell in love with Paris. And I felt Paris fall in love with me.

PS1: Já falamos de NY Eu te Amo aqui, vc viu?

PS2: Dizem que os próximos lançamentos serão: Shanghai, I Love You e Rio, Eu Te Amo.

PS3: Para não esquecer –  Walter Salles e Daniela Thomas foram os responsáveis por Loin du 16e.

PS4: Eu tenho a impressão que eu não ‘captei’ Paris.

PS5: A trilha também é uma delícia. E Meme Histoire é a minha preferida.