Frame: Decifrando Gary Oldman

The Sunday Times Magazine

Então eu me apaixonei pela edição de domingo do The Sunday Times. Em 4 de Setembro, a The Sunday Times Magazine trouxe uma matéria de cinco páginas com Gary Oldman, que finalmente assume o papel principal de um filme.

Trata-se de Tinker, Tailor, Soldier, Spy – filme do ex-M16 John le Carré e cujo poster estava espalhado por toda Londres.

poster oficial

Algumas curiosidades da matéria:

– Oldman nunca foi nem indicado a um Oscar. Durante a entrevista com Paul Smith, o ator dividiu uma conversa que teve com o colega Colin Firth, que também trabalha no filme de Carré.

Well, you know what it’s like“, disse “Mr Darcy” sobre indicações.

No, I don’t“, respondeu Oldman.

You’ve never been nominated?“, perguntou Firth.

No. I find that unfathomable“, completou Oldman.

Me too! Mal posso acreditar.

– Gary VIVEU bem – além da conta, talvez. Era alcoólatra e resolveu se tratar depois que a terceira mulher pediu separação. Dizem que, em uma das bebedeiras, ele chegou a queimar acidentalmente o filho. E foi por causa dos filhos que ele resolveu deixar pra trás seu passado de lama e se tornar um pai presente e, sempre que preciso, exigente.

– Quando deixou a reabilitação, escreveu e dirigiu seu primeiro e único filme, Nil By Mouth, uma maneira, dizem, de exorcizar os fracassos do próprio pai.

– Gary também começou a aceitar papéis em blockbusters, rejeitados até então, como Batman e Harry Potter.

– E, quando falam de Batman, ele não deixa de lembrar do amigo Heath Ledger, cuja morte o devastou. “shocked, couldn’t believe it. You know, just, like, an arrow, like I’ve been shot. Oh, f***! F***! Lovely kid, you know? […] Only 28″.

– Segundo a reportagem do Sunday Times, Oldman ficou meio traumatizado com o fracasso do terceiro casamento e por isso demorou muito tempo para investir novamente em uma relação. A esposa atual, Alex Edenborough, foi apresentada pelo melhor amigo, agente e guarda costas, Doug.

– aliás, ele já foi casado com a Uma Thurman. Ela tinha apenas 18 anos e ele, 30.

A pergunta que não quer calar é: quem topa uma aposta de que o próximo Oscar é dele? O/

 

Anúncios

Batman – O Cavaleiro das Trevas por Melhor Pergunta

Eu sei que o Heath Ledger merece mais que isso, mas nessa sexta-feira tudo que consigo pensar é:

Why So Serious?

PS1: O Cavaleiro das Trevas já recebeu outra indicação aqui.

PS2 Outro Coringa também recebeu indicação nesse blog. Veja aqui.

PS3: Christian Bale também foi reconhecido por esse blog. Aqui.

PS4:  Is this art, @abelardobarbosa?

Frame: Casais Impossíveis

Audrey Hepburn e Marilyn Mason

Penélope Cruz e Marlon Brando

Paul Newman e Scarlett

Brad e Liz

LiLo e Humphrey

George e Grace

Angie e Elvis

John Wayne e Heath Ledger….oooopsy!

 

Fonte: Worth 1000

Batman – O Cavaleiro das Trevas por Melhor Frase

O Duas Caras teve seus 15 minutos de fama, vai.

You either die a hero or live long enough to become the villain.

PS1: Mais Batman aqui e aqui.

PS2: Lembra do Tommy Lee Jones como Duas Caras? Foi no Batman Forever, de 1995 (aquele com o Val Kilmer).

Batman por Melhor Pergunta

Eu sei que o Heath Ledger arrebentou a boca do balão como Coringa, mas é do Jack a frase:

Você já dançou com o diabo à luz do luar?

De novo:

Have you ever danced with the devil by the pale moonlight?

E alguém esquece dessa risada? (ou desse moribundo?)

PS1: Quer ter uma foto do Coringa do Jack na sua casa?

Basta adquirir no fine art america por US$ 18,5.

PS2: Aliás, para quem não sabe, esse primeiro Batman, lançado em 1989, tem a assinatura de ninguém menos do que Tim Burton.

Batman O Retorno, de 1992, também é dele.

A Ilha do Medo por Melhor Trailer e Melhor Dúvida

Para mim, Shutter Island é o melhor filme do ano. E tudo começou com esse trailer completamente AS-SUS-TA-DOR:

Depois de tomar coragem por semanas, lá fui eu conferir a obra-prima do Scorsese e a performance do Leo, Mark RuffaloMichelle Williams e Ben’ Gandhi’ Kingsley.

Saí do cinema com a promessa, já anunciada no twitter, de não mais chamar o Leo de menina.

Compartilho também a cara de interrogação/desespero/dúvida do Mark Ruffalo quando Teddy diz:

Which would be worse: to live as a monster or to die as a good man?

Como diria Peter Travers, da Rolling Stone, “Scorsese makes dark magic in this mesmerizing mind-bender. No one who lives and breathes movies would dream of missing it“.

PS1:  Já que esse blog virou, nessa semana, um confessionário, vou admitir que a Michelle também merece palmas. Ao contrário da Katie Holmes, ela deixou para trás a Jen, de Dawson’s Creek.

PS2: E é mãe da Matilda, filha dela com o Heath.

Frame: Oscar

Então, vamos falar do Oscar. Só que, mais do apontar os meus favoritos, eu queria relembrar os grandes momentos dessa festa.

Regras do Jogo

1) Qualquer comentário é bem-vindo.

2) Coloquei aqui aqueles que lembro, que vivi e torci. E isso quer dizer que alguns clássicos, como O Poderoso Chefão e E O Vento Levou, não serão citados. (porque eu não sou tão velha assim…)

3) Os vídeos mais antigos foram desativados e você terá que ver no youtube. Como diz a Pink, Please don’t leave me.

4) Os meus critérios são completamente subjetivos. Sim, os seus também podem ser.

BEST PICTURE

Vocês sabem que meu coração pertence a Bastardos Inglórios, mas não acho que esse ano será do Tarantino.

1994, porém, foi um grande ano. Essa categoria foi apresentada por Robert De Niro e Al Pacino (eu sei: OMG! OMG! OMG!) e os concorrentes eram Forrest Gump, 4 Casamentos e 1 Funeral, Pulp Fiction (Melhor Overdose e Dança), Quiz Show e Um Sonho de Liberdade.

E o ganhador é um clássico, daqueles que a gente cita frases até hoje:

Actor in a Leading Role

Meu feeling diz que esse ano será do Jeff Bridges. A minha torcida é pelo Colin Firth (na verdade, eu só não fico feliz se o Jeremy Renner, de Guerra Ao Terror, ganhar. Nada pessoal, mas acho que pode comer um pouco mais de grama antes de levar a estatueta para casa).

Há muito tempo ele não faz um filme bom, mas tudo bem. Depois de Hannibal Lecter, Anthony Hopkins pode tudo.

Eu aposto, porém, que você se lembra do ROBERTO!

  

E ainda, na noite de homenagem ao Sidney Poitier

o Oscar (oh, I Love My Life!) do Denzel.

Actor in a Supporting Role

Dá um aperto no peito pelo Christopher Plummer, mas it’s a Bingooo. Christoph Waltz é o cara!! 

A lista de atores coadjuvantes é impressionante, mas alguém é páreo para o Coringa do Heath Ledger?

And this is for his beautiful Matilda! \o/

 Actress in a Leading Role

 Todo mundo sabe que eu amo a Meryl. E ela passou por todo o estresse pré-premiação 16 vezes e pela frustração de voltar com as mãos abanando 14 vezes.

Meryl darling, I’m sorry. Receio que essas estatísticas vão aumentar, porque eu também estou torcendo para a Sandra.

E o momento? Ah, a Julia né? Adoro Julia, adoro o sorriso, a gargalhada, a veia estourando na testa, adoro o humor, adoro o vestido, love it all!!

Evocando o passado rapidamente, um bocadinho de Audrey (ainda mais por A Princesa e O Plebeu que foi um dos primeiros posts desse blog —->veja aqui.)

Actress in a Supporting Role

Eu não vou escolher a Mo’Nique, porque eu tenho medo dela. So the Oscar goes to… Maggie Gyllenhaal!!

 E escolher uma ex-ganhadora foi difícil. Teve a Jennifer Hudson (porque eu gosto dela, gosto de Dreamgirls e gosto de American Idol),

a Catherine Zeta-Jones (que quase deu a luz na premiação) e

a Penélope.

Animated Feature Film

Eu torço por UP e o adorável Mr. Fredricksen(cuja voz é do Christopher Plummer).

 Essa categoria passou a existir em 2001 somente – tanto é que A Bela e A Fera concorreu a Melhor Filme no passado.

Directing

Tarantino, bóvio!

 E um momento marcante (e idiota, mas conveniente) foi o James Cameron gritando I’m the king of the world!

(E, se ele já se sente o rei do mundo, ele não precisa ganhar agora, certo?)

Writing (Original Screenplay)

Tarantino por Bastardos Inglórios!

 

E quem esquece dessa dupla?

Music (Original Song)

Nine! Nine! Nine!

Essa é uma das categorias que eu mais gosto e costuma nos brindar com apresentações marcantes, como a Madonna nervosa e desafinada com You Must Love (Evita),

um Aerosmith comportado (Armageddon),

a Whitney engolindo a Mariah (O Príncipe do Egito),

e Celine e Andrea Bocelli, cantando a música da animação A Espada Mágica (lembro que a Meryl chorou!! ´É, sim, de tão lindo!!).

Aliás, você pode não gostar dela, mas Celine reina no Oscar. Cantou a música de A Bela e A Fera,

 do Titanic e

de Íntimo e Pessoal.

Nesse ano (1997), ela cantou ainda I Finally Found Someone, de O Espelho Tem Duas Faces. A música é da Barbra, que se recusou a comparecer a cerimônia por não ter sido indicada a melhor atriz. Bafão!!!

Essa é a original, com Barbra e Bryan Adams.

Adooooooooooooooooooooooro!

PS1: Outro bafão, desta vez do ano passado, a Jen Aniston toda sorridente em frente ao Brad.

PS2: Tem o beijão do Adrien Brody na Halle ‘Storm’ Berry.

PS3:  o escândalo do Cuba Gooding Jr.

PS4: E aí?