500 Dias com Ela por Melhor Antirromance e Melhor Dança

500-days-of-summer

Eu precisei de 24 horas e de um empurrãozinho da Isabela Boscov, da Veja, para definir que indicações esse filme levaria. Fiquei matutando a crítica dela, em especial a parte em que diz que 500 Dias com Ela é o antirromance, algo completamente diferente do que estamos acostumados a ver.

E é verdade. Eu sou viciada em romances e comédias românticas e, embora admita o valor de Closer e Amantes, saí desgostosa do cinema por achar esses filmes reais demais. Eu não quero sofrimento; quero vibrar com o casal, rir, chorar e sair do cinema achando que o mundo é mesmo um conto de fadas (não julguem! cada um se ilude da forma que quiser!).

500-dyas-of-337x500

500 Dias com Ela tem um pouco desses dois mundos, mas pende mais para a realidade.  Ainda assim, é impossível não se apaixonar pela história e personagens que o novato Marc Webb construiu – da pequena e madura Rachel Hansen (Just because she likes the same bizzaro crap you do doesn’t mean she’s your soul mate), do melhor amigo Paul (Robin is better than the girl of my dreams. She’s real), do Narrador (Most days of the year are unremarkable. They begin, and they end, with no lasting memories made in between. Most days have no impact on the course of a life. May 23rd was a Wednesday), da honestidade polêmica de Summer (I woke up one morning and I just knew… what I was never sure of with you) e Tom, principalmente Tom.

O romântico, descolado e certinho Tom que diz It’s love, it’s not Santa Claus, que sabe de cor o que mais gosta em Rachel (I love her smile. I love her hair. I love her knees. I love how she licks her lips before she talks. I love her heart-shaped birthmark on her neck. I love it when she sleeps), que dança maravilhosamente bem de tanta felicidade

e depois, como todos nós, leva um doloroso tombo (You don’t want to be named as someone’s boyfriend and now your someone’s wife?).  

Te dou uma dica? Corre pro cinema!

 PS1: Marc Webb ainda acertou em cheio na trilha sonora, que vai de U2 a Carla Bruni, passando por She & Him, banda da Zooey Deschanel, a Summer.

PS2: Confira várias faixas no Blip.

PS3: E eu não consigo não olhar para o Joseph Gordon-Levitt e sentir falta do 3rd Rock from the Sun.

Anúncios

Ele não está tão a fim de você por Melhor Abertura

He's Just Not That Into You

A primeira informação que você precisa ter é que entre um grupo de amigos esse filme é chamado de oráculo.  Embora exagerado, ridículo e/ou engraçado, é possível passar horas dissecando cada cena, reconhecendo com qual personagem você se identifica mais…

Enfim, o que eu quero dizer é que eu gosto de desafios e é por isso que escolhi uma única cena para ilustrar esse post: a abertura.

Infelizmente o Youtube não tem o trecho completo, mas é o suficiente para  entender porque nós, mulheres, somos dotadas de uma personalidade tão esférica e cheia de nuances (sic).

PS1:  Eu tinha odiado o livro Ele não está tão a fim de você, escrito por dois roteiristas  de Sex and the City, o que fez do filme uma bela surpresa.

PS2: O que mais dá medo é que ele arrancou elogios até da Isabela Boscov, que conta quase o filme todo no Veja Cinema.   

 PS3: Embora a Isabela tenha identificado a Ginnifer Goodwin (Gigi) como uma das esposas do Amor Imenso, ela é, na verdade, a primeira mulher do Johnny Cash

Veja aqui o ensaio que ela fez para a revista W. A Gigi tem outra dentro dela!!!

PS4:  Eu sempre quis ser atriz por alguns minutos só para poder quebrar tudo ou virar uma mesa de comida e não ter que limpar depois. Porque, convenhamos, na vida real é patético. O que você me diz da Jennifer Connelly estraçalhando o espelho e depois voltando para catar os cacos??!!

PS5: Não é impressionante a evolução do Justin Long? Minha gente, o primeiro filme “de sucesso” dele foi Olhos Famintos, que é bizarro e assustador (eu não tive coragem de assistir o segundo). Ele também fez Crossroads – Amigas para Sempre, com a Britney Spears, e  Separados pelo Casamento, com a Jennifer Aniston.

PS6: No site oficial, é possível fazer um teste para saber se ele ou ela está a fim de você. Tem também um vídeo idiota  do Justin Long, Kevin Connolly e Bradley Cooper sobre clichês que você não vai encontrar nesse filme.

PS7: Se você ainda não viu o filme, ficou com preguiça, mas ainda quer saber se ele está a fim de você, siga a dica objetiva dos amigos da  Bridget JonesI mean there’s been all these bloody hints and stuff, but has he ever actually stuck his fucking tongue down your fucking throat?

Touché!