WishList: Europa de Cinema

Para a série livros-que-eu-gostaria-de-ter-escrito, incluí o guia Europa de Cinema, escrito por Vicente Frare.

O livro se propõe  a “transformar as cenas do cinema em experiências reais na sua próxima viagem à Europa”. Indica, portanto, locais de conhecidos filmes rodados em Berlim, Londres, Madri, Paris e Roma, a cidade mais linda do mundo.

É craaaaro que eu já pincei algumas dicas. 

1. Em Berlim

    

Fãs de Lola Corra Lola não vão encontrar o Deutsche Transfer Bank, onde o pai da protagonista trabalhava. Ele foi montado, somente para as filmagens, no edifício do luxuoso Hotel de Rome, localizado na Bebelplatz, praça onde os nazistas queimaram milhares de livros. Para lembrar o episódio, aliás, há uma intervenção na calçada: prateleiras de livros vazias.

A Supremacia Bourne foi outro filme que criou um cenário fictício.

          

O histórico edifício Haus Cumberland, na Kurfurstendamm 193, deu lugar ao Hotel Brecker, um dos locais em que Bourne é perseguido.

2. Em Londres

      

Para as Bridget Jones de plantão o/, a casa da inglesa mais famosa do mundo fica na margem sul do Tamisa, perto do Tate Modern. “Fica fácil de encontrar o edifício por causa do pub The Globe, que fica na entrada. Há um mercado de alimentos soberbo a duas quadras da casa de Bridget, chamado de Borough Market”, entrega Frare.

        

Para os fãs de Julia Roberts e Hugh Grant, boas notícias. A livraria de William realmente existe – The Travel Bookshop (13-15 Blenheim Crescent – W11).  O restaurante onde o casal escuta obscenidades (ui!) é o Nobu e a cena do casamento foi filmada nos jardins do hotel-butique Hempel.

3. Em Madri

          

Madri respira Almodóvar ou Almodóvar respira Madri? De qualquer forma, a Puerta de Alcalá, que aparece em Carne Trêmula, é a porta de entrada do bairro de Salamanca, “recheado de lojas e restaurantes exclusivos. A Calle Serrano é um dos enderços mais exclusivos de Madri“, conta o autor.

    

Quem também mora na Puerta de Alcalá é o casal  Elsa e Fred. A dupla, aliás, revela um roteiro gastronômico:  jantar no Restaurante Goya, do Hotel Ritz Madrid, e uma passadinha Chocolatería San Ginés para adoçar a boca. Que tal?

4. Em Paris

          

O restaurante em que Isabel, de À Francesa,  janta com seu amante é o Restaurante Georges, localizado no topo do Museu Centre Georges Pompidou.

O charmoso apartamento de Céline em Antes do Pôr do Sol fica na l’Étoile d’Or, na rua do Fbourg St Etoine, no 11º arrondisement, perto da Bastilha.

     

Falando em moradia, ao contrário do filme, o Julia Child viveu no número 81, e não 10, da Rue de l’Université, próximo a Assembleia Nacional.

5. Em Roma

       

O restaurante em que Liz – protagonista de Comer, Rezar, Amar – reúne-se com amigos para discutir qual palavra representa cada cidade é o Ristorante Santa Lucia, atrás da Piazza Navona.

       

A cena final de A Doce Vida foi gravada na praia de Fregene, nos arredores do aeroporto Fiumicino.

         

A casa do jornalista de A Princesa e O Plebeu fica na Via Margutta 51.”A rua, entre a Piazza di Spagna e a Piazza Del Popolo, é um reduto de artistas, com várias galerias de arte. Fellini também morava ali. Há dois hotéis que ficam ao lado da casa do filme“, explica Frare.

Gostou? 

Então corra pra livraria.

Serviço:

Europa de Cinema.

Vicente Frare, Editora Pulp.

Anúncios

Julie & Julia por Melhor Ideia

JULIA AND JULIA

Quem estiver a fim de pegar fila e enfrentar uma sala lotada deve ver Julie & Julia na Mostra Internacional de Cinema.

É muito fácil gostar desse filme:

1 – Ele tem a Nora Ephron e o seu gosto impecável – da escolha do cast à trilha sonora, passando pela fotografia e os detalhes de cada cena.

2 – Tem a Meryl Streep. Exagerada e caricata, mas ainda assim, Meryl Streep.

A primeira vez que eu ouvi falar de Julie&Julia foi quando estava preparando um post sobre a Meryl (veja aqui).

Como esperava, ela não decepcionou. Mais: ela engoliu os outros atores. Nas palavras do USA Today, Streep plays Julia Child to perfection. She nails Child’s distinctive vocal cadence, loping gait, awkward gestures and, above all, her voluble enthusiasm. Streep’s turn as the sprightly TV chef is not only a wondrous impersonation but an intelligent and respectful portrayal.

 Como você pode imaginar, eu tenho uma cena predileta, 

mas o filme merece mesmo uma indicação é por Melhor Ideia. Este é o terceiro e principal motivo para ver Julie & Julia

Veja bem: o filme não faça jus ao livro de Julie Powell.  O roteiro é bom, a Amy Adams é fofa e talentosa, mas o Projeto Julie/Julia é muito maior e melhor do que o descrito ali. É envolvente, simples e fantástico.

É a ideia que eu queria ter tido. Eu queria ter escrito vários trechos daquele livro. Eu também me vi em várias daquelas cenas [tá, eu confesso que não gosto de gatos e não tenho um marido como o Eric (que, ao contrário do comentário da Teté Ribeiro, não tem NADA de chato), mas posso ter um acesso de chiliques como os dela fácil, fácil].

Eu entendo quando a Julie diz que o simples ato de escrever (…) torna os fatos importantes ou pelo menos incomparáveis e sinto a mesma emoção perigosa e confessional quando decido descortinar os fatos mais interessantes da minha vida bem como minhas ideias para o mundo.

O mais importante, porém, é que tanto o livro quanto o filme despertam o estômago e a vontade de fazer mudanças.

PS1: Quer saber quão brilhante é a Meryl Streep? Veja esse vídeo da verdadeira Julia Child.

 PS2: Não entendeu nada? Veja o trailer:

PS3: Os fãs de Glee podem conferir uma Sue bem diferente. Jane Lynch faz a irmã de Julia Child.

PS4: A Julia Powell lança, em dezembro, um novo livro: Cleaving: A Story of Marriage, Meat and Obsession. Segundo NY Times, a obra deve abordar a infidelidade (pasmem!) da autora.

 PS5: Quer aprender a fazer o Boeuf Bourguignon de Julia Child? O No Soup for You ensina.  

 “Bon appétit!”