Uma Linda Mulher por Melhor Aluna

Precisando de um pouco de romance nesse fim de ano?

Este blog tem a solução (em parte). Nada como Pretty Woman para nos fazer rir, chorar e sonhar, certo?

Um trecho que nunca esqueci desse filme é quando Vivian recebe uma aula sobre como se portar à mesa (7′):

 

Tudo bem que o resultado não foi lá bem o esperado:

 

Alguém consegue esquecer a emoção de Vivian na ópera? Ou a reação dela?

It was so good, I almost peed my pants!

E como a carne é fraca…

Comer Rezar Amar por Melhor Guru

Nããããããããoooo. Eu não estou falando do Ketut, mas do Ricardo do Texas ou Richard from Texas. É o amigo falastrão, interpretado pelo maravilhoso Richard Jenkins.

É ele quem ensina a Liz as melhores lições. A primeira delas…

 

Are you shitting me? The meditation room is within, groceries, decorate that! (…)You have to learn to select your thoughts the same way that you select your clothes every day. Now that’s a power that you can cultivate. You wanna come here , you wanna control your life so bad, work on the mind. And that’s the only issue you should try to control. ‘Cause if you can’t master your thoughts, you are in trouble forever. (…) Stop trying, surrender. Go under the garden and just sit there and still your mind and see what happens. Why don’t you let it be?

Mas a minha preferida é essa:

 

Big deal. So you fell in love with someone.  So miss him. Send him some light and love every time you think of him and drop it.  If you could clear out all that space in your mind that you’re using to obsess over this guy and your failed marriage, you’ll have a vacuum with a doorway. And do you know what the universe do with the doorway? Rush in – God, rush in – and fill you with more love than you’ve ever dreamed of. Groceries, I think you have the capacity someday to love the whole world.

E Liz aprendeu:

 

PS: Richard From Texas também ficou famoso e possui hoje um site. Abaixo o verdadeiro Richard e Liz.

Amor e Luz, minha gente!!!

Quero Ser Grande por Melhor Merchandising



Dizem que foi por acaso. Golpe de sorte do destino ou não,  fato é que a FAO Schwarz tornou-se mundialmente conhecida quando os produtores de Quero ser Grande decidiram colocar o jovem Tom Hanks tocando e dançando O BifeHeart and Soul.

Inesquecível essa cena, não?

PS1: Tradicional marca e fabricante de brinquedos, a FAO Schwarz foi comprada em 2009 pela Toys ’R’ Us.

PS2:  O criador desse piano, The Walking Piano,  foi o italiano Remo Saraceni. O equipamento/brinquedo sofreu várias adaptações ao longo dos anos e pode ser encontrado em vários tamanhos. Legal, né?

PS3: Sabe quem também ama esse piano?

Hommer Simpson

PS4:  Quero Ser Grande recebeu duas indicações ao Oscar – incluindo, melhor ator para Tom. Ele, aliás, ganhou o Globo de Ouro com esse filme.

PS5: Se você segue o Tom no twitter,  então está ligado que ele só fala de uma coisa: Larry Crowne.

Quizz: Qual o melhor sorriso de Hollywood?

Quel tal começar a semana respondendo uma simples e feliz pergunta: Qual o melhor sorriso de Holywood?

1) Julia Roberts

2) George Clooney

3) Bradley Cooper

4) Kate Winslet

5) Will Smith

6) Brangelina

7) #1 e/ou Jude Law

8 )  Sandra Bullock

9) Wandinha Adams

Oooooops!

10) Jack Nicholson

Vote!!

Nos comentários, você encontra o meu!

PS:  Mais gargalhadas maravilhosas no Pinterest.

Ranking: 10 filmes Anti-Dia dos Namorados

É isso aí, Marilyn, my dear. Neste blog, solteiro não fica deprê por causa de Dia dos Namorados. Nós agradecemos por tudo que nós somos.  Nós celebramos a vida e a independência.

 

Portanto, no próximo domingo (12/06),  esqueça os corações e filmes melosos. Crie um clima de romance para você, acompanhado ou não por amigos.

Esses 10 filmes provam que não só a vida a dois vale a pena:

10. Clube das Desquitadas.

 

Entende do que eu tô falando?

 

9. Sob o Sol de Toscana

Porque é possível (aprender a) viver sozinho.

8. Yentl

Correr atrás do que realmente importa.

7. Elizabeth

Chegar looooonge.

 

6.  Shirley Valentine

Descobrir-se. Redescobrir-se.

 

5. As Férias da Minha Vida

Arriscar-se, ousar realizar sonhos, mesmo que eles não sejam do jeitinho que imaginava.

 

4. O Sorriso de Monalisa.

Quebrar paradigmas (por mais difíceis que sejam).

 

3. UP

Viver inesperadas aventuras com novos amigos.

 

2. Thelma & Louise


Aproveitar os velhos.

 

1. Curtindo a vida adoidado

Entendeu?

PS1: Com colaboração de Cris Camarena.

PS2:  Confira as indicações que Curtindo a Vida Adoidado, Sob o Sol de Toscana e Shirley Valentine já receberam nesse blog.

PS3: Faltou algum filme? Deixe o seu comentário.

O Noivo da Minha Melhor Amiga por Melhor Conselho

 

O Noivo da Minha Melhor Amiga estreou no último fim de semana e, se você ainda não viu e não gosta de spoiler, é melhor parar por aqui.

Acontece que esse filme é uma das melhores românticas dos últimos tempos. Convenhamos, minha gente, há muito tempo a gente não via um “material de qualidade” – talvez no cinema independente, mas em Holywood? Nãããããoooo!

Pois, Kate Hudson parece querer ocupar o lugar que Meg Ryan e Julia abandonaram. Ao lado da fofa Ginnifer, de Ele Não Estão Tão a Fim de Você e/ou Big Love, a filha de Goldie, cada vez mais parecida aliás, consegue arrancar boas gargalhadas e suspiros de corações românticos.

Ok, o abdômen de Colin Egglesfield ajuda,…

… mas meu coração já elegeu John Krasinski como o melhor coadjuvante de comédias românticas.

E é o personagem dele quem dá o melhor conselho de todos os tempos:

You’re all going to hell anyway, so you might as well do something for yourself for once!

Então, corra pros cinemas:

Todos Dizem Eu Te Amo Por Melhor Versão

Sabe o que acontece quando você junta Woody Allen, Edward Norton e Nina Simone?

E essa é a versão original:

Crítica: Comer Rezar Amar

Eu demorei para ver Comer Rezar Amar.  Estava ansiosa para ver Roma, para me encantar (de novo) com  Julia, para me surpreender com o Ryan Murphy, para babar pelo Javier Bardem… mas demorei porque não gosto de filas e também porque desanimei com a decepção de alguns amigos e familiares com o filme.

Comer Rezar Amar não é para qualquer um, assim como qualquer livro de auto-ajuda. Não é profundo e nem ter que ser.

Comer Rezar Amar é sobre uma experiência. Mais do que largar o emprego e o conforto para viajar o mundo , é a transformação,  olhar o mundo de outra forma, dar-se a oportunidade de enxergar beleza e vida em pequenas coisas, perdoar-se e ter coragem de viver tudo de novo.

Não é qualquer um que entende isso, que se conecta com isso. Eu mesma, quando li o livro, não me envolvi  tanto. Fixei-me em Roma, a minha cidade dos sonhos, a mais linda do mundo, a que transformou a minha vida. O Bel Far Niente, como destaca a didática conversa na barbearia.

No filme, o Rezar e o Amar tiveram outro significado para mim. Emocionei-me com a dolorosa busca pela paz interior. Chamou minha atenção o conselho de Richard: pense na pessoa, mande amor e luz e esqueça.

O romance tornou-se pequeno perto do medo de perder algo tão difícil de ser encontrado: o equilíbrio.  Javier Bardem só ganhou dinheiro e popularidade com esse filme, porque a cena em que chora, ao se despedir do filho, dá vergonha, assim como seu portunhol. E daí, né?  Se o mote é equilíbrio, a atuação (ou papel?) fraca é compensado pelo seu charme latino.  Um pouco de colírio nunca é demais nessa vida, certo? 😉

No mais, destaco Julia, mais linda do que nunca. Eu realmente acho que há algo em certas pessoas. Um carisma inexplicável. Julia é uma delas. Alguém consegue não reagir quando ela abre aquele sorrisão?

PS1:  O filme deixou de fora o trecho que eu mais gostei no livro. Veja aqui.

PS2: Lembrem-se:  “My Guru says that people universally tend to think that happiness is a stroke of luck, something that will maybe descend upon you like fine weather if you’re fortunate enough. But that’s not how happiness works. Happiness is the consequence of personal effort. You fight for it, strive for it, insist upon it, and sometimes even travel around the world looking for it”

Frame: A vida não é doce como em Comer Rezar Amar

Todo mundo só fala de Comer Rezar Amar.  Fotos dos protagonistas pipocam por todos os lados.  A imprensa brasileira adora, principalmente, enfatizar que Javier interpreta um brasileiro.

Mas você já viu a cara do verdadeiro Felipe?

É… quem vê cara não vê coração.  Muito menos um Javier Bardem.