Ranking: Os mal aproveitados de Hollywood

Quem disse que talento e/ou um rostinho bonito são suficientes para ser uma estrela em Hollywood?  Nope. Tem muita gente boa que não consegue uma estrela na calçada da fama e ter o sol brilhando.

Com vocês, as provas disso.

10. Rebecca de Mornay


Porque 19 anos se passaram e  Peyton continua imbatível.

9. Marisa Tomei


Ela ganhou um Oscar em 1992, já foi indicada outras vezes, é muito bonita e, mesmo assim, continua cavando, com dificuldade, papéis secundários.

8. Stanley Tucci


Em 2010, com Um Olhar do Paraíso, eu achei que finalmente ele seria reconhecido. Ledo engano…voltou a ser coadjuvante.

7. Laura Linney

Ela já foi indicada ao Oscar em três ocasiões, já interpretou todo tipo de personagem e tem no seu currículo filmes maravilhosos.  Nada disso foi suficiente. Até que  a Original Film e a Sony resolveram produzir The Big C, com Laura no papel principal.  Sorte nossa!

6.  Kevin Kline

Ok, ele fez muito filme ruim. Mas também emocionou e arrancou lágrimas como Cole Porter, foi o professor Howard Brackett em Será Que Ele É e William Hundert em O Clube do Imperador, foi o francês Luc  e tantos outros personagens inesquecíveis. Mesmo assim, a gente é obrigado a vê-lo fazendo uma ponta em um filminho capenga como Sexo Sem Compromisso. Que dor no coração!

5. Richard Dreyfuss

Ele já  teve mais sorte no passado. Hoje faz pequenas participações em filmes que seriam questionáveis se este coadjuvante não roubasse completamente a cena.

 

4. Christine Baranski

Mais um presente que a TV nos dá. E quem assiste a The Good Wife sabe do que estou falando.

3.  Toni Collette

Na mesma categoria de Christine e Laura está Toni. Indicada ao Oscar por Sexto Sentido, ela continuava com papéis secundários até virar a estrela de United States of Tara.

 

2. Minnie Driver

Aparentemente a atriz inglesa só não convenceu os chefões de Hollywood. Adoro!

 

1. Tom Wilkinson

Este ator deveria estar na categoria de intocáveis, ao lado de Niro, Al Pacino e Dustin Hoffman.

Anúncios

Três vezes amor por Melhor Coleção

tres-vezes-amor-1

Em Três Vezes Amor, a April, personagem de Isla Fisher, colecionava Jane Eyre. Na verdade, era uma tentativa de reaver a edição que ganhou do pai falecido e que havia se perdido durante uma mudança.

Logo na primeira página, a dedicatória:

The human heart has hidden treasures, In secret kept, in silence sealed; The thoughts, the hopes, the dreams, the pleasures, Whose charms were broken if revealed.

PS1: A Isla Fisher está bem melhor nesse filme do que em Becky Bloom.

PS2: O Kevin Kline como um tiozinho mulherengo rouba a cena (novidade!!).

PS3: A Rachel Weisz está linda de viver. (Novidade!!!)

PS4:  E o Ryan Reynolds, mais uma vez, é o Ryan Reynolds – sempre o mesmo papel e a mesma expressão. Minto! A melhor atuação dele foi em Wolverine, principalmente depois que a boca dele é costurada.

PS5: Tá, eu confesso que adoro esse pedaço porque uma das minhas coleções é de Orgulho e Preconceito. A Livraria Cultura tem uma versão pocket ótima e essa aqui, linda, da Penguin. Edição de colecionador, minha gente!!!

Será Que Ele É por Melhor Dança

in_and_out_xl_01--film-B

Esse filme merecia passar mais vezes na Sessão da Tarde. É uma ótima comédia, que começa com uma declaração bombástica de um vencedor do Oscar (Matt Dillon), que, ao agradecer ao seu professor de literatura inglesa da escola, revela que ele é gay.

A pequena cidade fica em polvorosa, incluindo o tal professor (Kevin Kline), que está prestes a se casar (Joan Cusack). Para tirar a dúvida, ele faz um teste de masculinidade, cujo principal  desafio é dançar.  Afinal, Arnold doesn’t dance!!.

P.S.: Vale também conferir a atuação de Tom Selleck, também conhecido como Magnum ou Richard, namorado da Monica, em Friends.

De-Lovely por Melhor Trilha Sonora

index_04

Amantes de jazz, admiradores de Cole Porter ou simplesmente amantes da boa música. Não há como não se apaixonar por esse filme.

De-Lovely conta a vida, os amores e as músicas de Cole Porter. Com uma personalidade um tanto quanto controversa, o compositor é interpretado pelo não menos talentoso Kevin Kline. O filme conta ainda com Ashley Judd, que é filha, na vida real, de uma famosa cantora country americana, e com artistas como Robbie Williams, Diana Krall, Elvis Costello, Alanis Morissette e Natalie Cole.

O trecho de Night and Day é um dos meus favoritos.

So in Love, que descobri nesse filme, também me emociona demais.

Outras interpretações, como a da Natalie Cole, também valem a pena. Confira a trilha completa aqui.