Marley & Eu por Melhor Amizade

Já que o Telecine nos brinda com Marley & Eu dia e noite/noite e dia, achei conveniente falarmos desse filme.

Eu tinha lido o livro do John Grogan e por isso já entrei no cinema chorando e devidamente equipada com uma caixa de lenços. E esse também é o motivo pelo qual Marley & Eu foi encaixado nessa categoria, que pode parecer para você um baita clichezão.

Nas palavras do John:

It was really quite simple, and yet we humans, so much wiser and more sophisticated, have always had trouble figuring out what really counts and what does not.  Sometimes it takes a dog with bad breath, worse manners, and pure intentions to help us see.  Ask yourself, how many people in the world can truly make you feel rare, pure, and extraordinary?

Só um grande amigo, o MELHOR amigo, folks!

Porque  “A dog doesn’t care if you’re rich or poor, educated or illiterate, clever or dull. Give him your heart and he will give you his“.

Outras coisas que eu adoro nesse filme?

– quando o Marley apóia o focinho no joelho da Jen, que chora após sofrer o aborto espontâneo.

– o adestramento (ou a tentativa de) com uma Kathleen Turner horripilante (vc realmente culparia o Marley?)

–  todas as trapalhadas embaraçosas dele. #prontofalei.

Anúncios