Crítica: Amor à Distância

Não é o mote desse blog fazer reviews – e acho que isto está bem claro aqui. Abri essa categoria quando fui ver Eclipse, porque precisava compartilhar com o mundo minha alegria na pre-estreia do blockbuster da Stephanie Meyer.

Abro outra exceção hoje após ver Amor à Distância – filme que citei há pouco mais de uma semana. Não vou te fazer retomar aquele post. O trailer me dava a impressão (ok, ok, eu usei a palavra certeza) de que a minha DVDteca ia ganhar mais uma unidade.

Sim, eu me enganei. E venho, por meio deste post, admitir que pequei errei.

Eu sei o que você está pensando: “você estava muito ansiosa por esse filme e por isso se decepcionou”.

Mas não é isso.

Comédias românticas são (quase sempre) óbvias, mas eu gosto daquelas que, mesmo sabendo o final, eu torço para que o casal fique junto, porque os personagens são bons, as histórias estão amarradas… a própria Drew tem bons filmes do gênero no currículo – Nunca Fui Beijada e Amor em Jogo são dois exemplos.

Isso não acontece em Amor à Distância. A personagem dela é fraca e não é nem um pouco envolvente. E Justin Long é bonitinho, carismático, mas não entrega mais do que já vimos em Ele não está tão a fim de você.

Some-se a isso uma tonelada de clichês, piadas escatológicas, cenas de sexo etc. Aliás, a impressão que dá às vezes é que eles fizeram um Crtl C + Ctrl V de vários blockbusters para fazer esse. Um dos amigos de Garrett, por exemplo, tenta ser uma cópia do cunhado estranho de Se Beber, Não Case.

Muito esforço (sendo bem otimista) em vão.

Uma boa comédia romântica nem precisa de tudo isso. Mensagem Pra Você é para mim o melhor exemplo disso.

Uma sugestão? Não fique desanimado com o meu post. Se estava a fim de ver, vá ver. Na volta, passe aqui para deixar a sua impressão.

 PS1: Para não dizer que estou amarga hoje,  confesso que gostei da trilha sonora. Também com Cat Powers, The Cure, The Pretenders… e The Boxer Rebellion, que me fez ter vontade de escutar The Killers. Já está à venda na Amazon, é claro.

PS2:  Tá, digo mais:  não foi pior que Idas e Vindas do Amor.

Frame: Trilha Sonora

A minha coleção de DVDs cresceu tanto que fui obrigada a reorganizar toda a casa. Ela só não é maior que a pilha de CDs.

Olhando aquela bagunça, percebi que a minha vida seria triste demais sem música. Sou aquela pessoa que gosta de cantarolar por aí, que adora shows e que completa frases dos outros com uma canção…

Acho que, no final, a música é mais fundamental na minha vida do que o cinema

Mais:  alguns filmes e cenas perderiam o sentido ou seriam menos emocionantes sem aquela trilha.

Durante o meu File Day, separei as trilhas que vocês TÊM que conhecer.

As duas primeiras são aquelas que escuto quando estou ligada no 220 ou quando quero espantar a tristeza e o mau humor.

A Noviça Rebelde é uma receita de família…

… e Mamma Mia foi adicionado nos últimos anos, embora Abba já fizesse parte da minha vida.

Com essa mesma vibe, mas não tão intensa, tem a trilha de Noiva em Fuga (em especial, You Can’t Hurry Love / Dixie Chicks), …

 … Mensagem para Você (The Puppy Song / Harry Nilson) …

… e Como Perder um Homem Em Dez Dias (Follow You DownGin Blossoms

Kiss Me / Sixpense None The Richer)

Tem as mais românticas, como a trilha de Um Lugar Chamado Notting Hill (You’ve Got a Way /Shania Twain), …

… da Bridget Jones (Stop, Look, Listen / Diana Ross & Marvin Gaye),…

Sabrina (How Can I remember / Michael Dees), …

Ray (You Don’t Know Me)…

… e, pasmem!, Crepúsculo ( Flightless Bird. American Mouth / Iron & Wine)

E tem ainda os Prozac Songs, como a trilha de Falando de Amor (Why does it hurt do bad/ Whitney Houston e… 

It Hurts Like Hell / Aretha Franklin)…

e Simplesmente Amor. Mesmo com Christmas All Around, Here With Me e All I want for X-Mas, quem arrasa mesmo é a Joni Mitchell com  Both Sides Now.

PS1: Esses foram somente alguns exemplos de trilhas que tenho em casa. Aqui no blog já falei de outras, como a do Top Gun , Ruas de Fogo, Vida Bandida, De-Lovely, Uma Secretária de Futuro, Austin Powers, Letra e Música e  500 Dias com Ela.  

PS2: Às vezes eu ente nem consigo enxergar a trilha toda por causa de uma música.   É o caso de Quanto Mais Idiota Melhor, The Wonders, De Repente é Amor,Quem Vai Ficar com MaryUm Beijo Roubado e  O Casamento do Meu Melhor Amigo.

 PS3: Eu lembro quando You Don’t know Me passou no trailer de Ray… Meu coração parou e  eu fiquei completamente obcecada. A melhor versão, porém, é o dueto dele com a Diana Krall.

PS4: O CD de Crepúsculo foi um ótimo presente de Karina e Rachel. Obrigada mil vezes!!

PS5: Ultimamente a trilha de Glee entrou no rol das músicas para ser feliz.

PS6: Qual a sua trilha favorita?