Frame: Halloween – a origem e o cinema

O nome Halloween remete à expressão “All hallow’s eve”, que significa  “véspera de todos os santos”. E é isso mesmo. O dia 1º de novembro não é feriado, mas marca a celebração de todos os santos e mártires, reconhecidos ou não oficialmente.

Os celtas da Grãs-Bretanha criaram essa festa, considerada pagã pelo Vaticano, para afastar maus espíritos, sendo que os  disfarces e as máscaras eram uma forma de despistá-los.

Levada para os Estados Unidos, a tradição ganhou novos e divertidos contornos – como a abóbora e os doces. A Terra do Tio Sam também fez o favor de divulgar a brincadeira para o resto do mundo, usando inclusive filmes.

No cinema – Nessa época é impossível não recordar clássicos do terror. Um deles, claro, é Halloween. Lançado em 1978, o longa de baixo orçamento foi produzido e dirigido por John Carpenter. Tornou Jamie Lee Curtis famosa e  o psicopata Michael Myers nos atormentou por outros 8 filmes.

 

Outro famoso é Freddy Krueger, de A Hora do Pesadelo, que matava adolescentes em seus sonhos. Também virou franquia e personagem no jogo Mortal Kombat.

 

O próprio Hitchcock foi um grande mestre do gênero e inspirou uma série de filmes e cineastas. No vídeo abaixo, há trechos de vários clássicos.

 

Curiosidades

The Haunted Castle, um curta francês, é considerado o primeiro filme de terror da história. Foi lançado em 1896 e tem 3 minutos de duração.

– O ator Robert Englund não é um nome facilmente reconhecido, mas é ele quem responde por Freddy Krueger. 

– Em momento Auto Ajuda (e divertido!), Janet Leigh, musa de Hitchcock, deu conselhos à filha em cena Halloween H20.  

 

– Intrigado com a foto da Drew Barrymore? Ela abriu o clássico de Kevin Williamson e Wes Craven, indicado neste blog a Melhor Trote.

– Segundo a Universidade de Westminster, assistir a filmes de terror emagrece. É isso mesmo! 90 minutos de um longa assustador, como O Exorcista, Tubarão e O Iluminado, equivale a uma caminhada de meia hora. Melhor: queima as calorias de uma barra de chocolate.

E aí?  Pronto para um susto?

Anúncios

Música do Coração por Melhor Recomeço

Não é só pela moral da história. Esse filme vale também porque tem música e tem Meryl. And we looooooooooove Meryl.

PS1: Sim, esse filme é baseado em uma história verídica. Tem na direção, pasmem!, Wes Craven, que também foi responsável por Pânico.

ps2: Meryl foi indicada ao Oscar por esse longa, que teve também outra indicação: melhor música. 

PS3: Music of My Heart foi escrita pela Diane Warren, a quem a gente deve muito respeito. Ela já emplacou importantes hits (inclusive das nossas vidas) com Aerosmith,

Celine,

Trisha,

Cher 

e Christina.

Music of My Heart foi gravada pelo N Sync, antiga boy band do JT, e Gloria Estefan.