Cadillac Records por Melhor Trilha Sonora

Ontem X-Tina Aguilera entrou nos TTs por cantar, com os peitos quase de fora,  At Last durante o funeral de Etta James.

Mas não foi X-Tina quem viveu a cantora soul nas telonas. Foi Beyonce, logo depois de Dreamgirls e em um filme que passou praticamente despercebido.

Com Adrien Brody no elenco, o filme de 2008 conta a história do selo Cadillac Records, nos anos 50.  Apesar da foto amigável aí embaixo…

… dizem que Etta não era lá muito fã de Beyonce e o descontentamento ficou ainda maior quando a jovem cantora dedicou At Last para a primeira dança de Barack e Michelle Obama (leia mais aqui)

 

 

Intrigas à parte, esse blog não tem dúvida de que todas as versões de At Last merecem ser apreciadas, assim como o filme, que tem uma trilha sonora impecável e imperdível para os fãs de Etta, soul e R&B.

Dez coisas que eu odeio em você por Melhor Poema e Melhor Versão

10-things-i-hate_420

Eu fiquei em dúvida se esse filme deveria receber duas indicações ou uma só. Também titubiei se elas deveriam ser postadas separadamente ou de uma vez só. Bati o martelo, quando fui assisti-las. Eu simplesmente pre-ci-sa-va compartilhar essas cenas logo.

A primeira indicação é pelo poema corny (essa palavra não é muito boa?) que a encrequeira Kat cria para se declarar para o maloqueiro Patrick.

A segunda é para a versão de “Can’t take my eyes off of you“. (Quem diria, Zapa, que a gente teria algo em comum com um Heath Ledger moreno e em início de carreira?)

PS1:  O filme de 1999 foi inspirado em A Megera Domada, de William Shakespeare. Há várias referências ao longo do filme –  a começar pelo nome dos principais personagens (Kat, Bianca e Patrick Verona) e do colégio (Pádua).

PS2: A Megera Domada também foi adaptada para o cinema. A Katharina de gênio forte foi interpretada por Elizabeth Taylor, enquanto o ator Richard Burton, que  viraria marido da diva do Michael Jackson, fez o corajoso Petrucchio.