Prometheus Por Melhor Frase

So says freaky Fassbender…

Big things have small beginnings

Alien, o Oitavo Passageiro por Melhor Cofrinho

Tive a oportunidade de rever Alien, o Oitavo Passageiro, graças ao Telecine que colocou o clássico do terror alienígena na sua programação de novembro. Eu não sou muito fã de filmes de terror – a Tati muito menos – o que acaba deixando esse blog um pouco defasado nesse gênero, infelizmente. Mas gostamos de bons filmes e Alien é um deles. Ridley Scott em sua segunda direção no cinema, veja só! Antes ele só tinha se aventurado em curtas e séries de TV.

Alien, o Oitavo Passageiro é de 1979, mais velho que eu e provavelmente que a maioria de vocês. Mas incrível como mesmo depois de tantos anos eu ainda lembrava de muitos detalhes do filme e que confesso, continuam bem assustadores e algumas vezes bem nojentos. O sucesso gerou uma franquia de 3 sequências sem contar  Alien versus Predador e os comentários sobre o quinto filme com Scott de volta a direção.

Deixando de lado as cenas nojentas e assustadoras, uma cena bem diferente ficou guardada no meu imaginário adolescente – Sigourney Weaver “pagando cofrinho” de uma bundinha magra e quase inexistente numa daquelas tanguinhas anos 70 que não escondiam muita coisa (Gabeira que o diga). Não lembro no cinema de ninguém pagando cofrinho com tamanha desenvoltura. Por isso, clap clap Sigourney, a indicação é sua.

Bjos,

@abelardobarbosa

Ranking: 10 filmes Anti-Dia dos Namorados

É isso aí, Marilyn, my dear. Neste blog, solteiro não fica deprê por causa de Dia dos Namorados. Nós agradecemos por tudo que nós somos.  Nós celebramos a vida e a independência.

 

Portanto, no próximo domingo (12/06),  esqueça os corações e filmes melosos. Crie um clima de romance para você, acompanhado ou não por amigos.

Esses 10 filmes provam que não só a vida a dois vale a pena:

10. Clube das Desquitadas.

 

Entende do que eu tô falando?

 

9. Sob o Sol de Toscana

Porque é possível (aprender a) viver sozinho.

8. Yentl

Correr atrás do que realmente importa.

7. Elizabeth

Chegar looooonge.

 

6.  Shirley Valentine

Descobrir-se. Redescobrir-se.

 

5. As Férias da Minha Vida

Arriscar-se, ousar realizar sonhos, mesmo que eles não sejam do jeitinho que imaginava.

 

4. O Sorriso de Monalisa.

Quebrar paradigmas (por mais difíceis que sejam).

 

3. UP

Viver inesperadas aventuras com novos amigos.

 

2. Thelma & Louise


Aproveitar os velhos.

 

1. Curtindo a vida adoidado

Entendeu?

PS1: Com colaboração de Cris Camarena.

PS2:  Confira as indicações que Curtindo a Vida Adoidado, Sob o Sol de Toscana e Shirley Valentine já receberam nesse blog.

PS3: Faltou algum filme? Deixe o seu comentário.

Ranking: 10 filmes do Sundance Film Festival

Confira os filmes que estão “causando”, segundo Richard Lawson.

10. The Future

Miranda July (já retratada nesse post) cria, dessa vez, a história de um casal unido por um gato, o verdadeiro narrador dessa história.

9. Homework

Alicia Silverstone renasce das cinzas, ao lado da Sra Tom Hanks (Rita Wilson),  do gatíssimo Blair Underwood e da sobrinha da Julia (Emma Roberts), em um filme que trata da vida de um adolescente que aprende um pouco mais sobre essa vida quando conhece “a mulher dos seus sonhos”.

8. Salvation Boulevard

Comédia sobre um ex-hippie que tem que ir para o limbo após decidirem que ele não é tão santo quanto o resto da igreja. Elenco, no mínimo, interessante: Jennifer Connelly, Marisa Tomei, Greg KinnearPierce Brosnan.

7. Martha Marcy May Marlene

Elizabeth Olsen (mais uma?) protagoniza a história da jovem que tenta reconstruir sua vida após fugir de um culto nebuloso.

6. The Ledge

E a religião é, de novo, mote de um filme, que tem outra fênix no elenco, Liv Tyler.  O  thriller mostra a violência desencadeada por um argumento apresentado por ateu a um cristão conservador.

5. Life in a Day

Imagine um filme feito a partir de fragmentos enviados por pessoas de várias partes do mundo.  A proposta? Eles deveriam mostrar o que estavam fazendo em 24 julho de 2010. A colcha de retalhos foi costurada pelos diretores Kevin MacDonald e Ridley Scott e estreia hoje (27/01) em Sundance, com transmissão ao vivo no youtube.

4. Red State

Não sei se é o fim do mundo, mas a religião é também tema de um  filme de terror, liderado por Kevin Smith, sobre  um grupo de pessoas que se vê frente a frente com o fundamentalismo extremo.

3. Higher Ground

Nhé! Vera Farmiga dirige e protagoniza o drama de uma mulher que dedica 20 anos da sua vida ao fundamentalismo. Um dia ela ela decide partir… to infinity and beyond! Ok, ok. Foco.

2. Page One

Documentário feito a partir da experiência de Andrew Rossi em um departamento do  New York Times. Nas palavras de Richard  Lawson, “Should be thrilling for media nerds everywhere“.

1. Margin Call

A crise financeira de 2008  é revisitada nesse thriller liderado Kevin Spacey (Que prazer rever você!!) .  Demi Moore, Mary McDonnell e o incansável Stanley Tucci também integram o elenco.

Intervalo: Erros divertidos em filmes

Veja os erros de filmagem em Preciosa, Intriga Internacional, O Gladiador, Harry Potter e a Câmera Secreta ,  Piratas do Caribe, Pearl Harbor, Star WarsA Glória de um Covarde.

 

Yeah, ok!

Perfume – A História de um Assassino por Melhor Praga

Perfume (2006) é um filme belo. Sem grandes surpresas. Mas, uma frase carregada de profundo ódio chamou minha atenção. Os posts de melhor frase são especialidades da Tati, que as conhece de cor, mas eu resolvi arriscar.

A frase em questão é, na verdade, uma praga. E praga tem que ser assim, tem que deixar qualquer um com medo só de ouvir. Tem que fazer a pessoa se arrepender da própria existência. O ator Alan Rickman (btw, ótimo e já muito comentado por aqui) passa ódio sem precisar alterar nem um tom a voz.

“Very well, but remember this… I’ll be looking at you when you’re laid on the cross and the twelve blows are crashing down on your limbs. When the crowd is finally tired of your screams and wandered home, I will climb up through your blood and sit beside you. I will look deep into your eyes… and drop by drop I will trickle my disgust into them like burning acid until… finally… you perish.”

Minha tradução (perdoem). Pensa naquela pessoa que te fez mal e vai.

“Muito bem, mas lembre-se … Eu estarei olhando você deitado na cruz quando os doze golpes esmagarem seus membros. Quando a multidão finalmente se cansar dos seus gritos e for para casa, eu vou subir entre seu sangue e me sentar ao seu lado. Vou olhar profundamente em seus olhos … e vou despejar gota a gota meu nojo dentro deles como ácido até que…  finalmente…você pereça.”

Para não estragar o prazer de ver o filme com malditos spoilers, vá direto para o minuto 2:51 do vídeo e veja a cena que ele pronuncia a praga.

PS1:  Como pode? Ele é o infame xerife de Nottingham em Robin Hood (1991)!?
Af…

Todo mundo tem um passado condenável!

PS2:  Btw, alguém viu a versão Hood do Ridley Scott?

ps3: Perfume foi dirigido pro Tom Tykwe. Sim, você conhece ele.  Ele dirigiu e escreveu Corra, Lola, corra.

abraços,

@abelardobarbosa

Cracks por Jovem Talento e Imponência

Não se engane com a sinopse de Cracks. Ela é mesmo meio desanimadora, remetendo a um desses filmes com internatos, professores inspiradores…

Acontece que esse longa vai um pouco além dessa fórmula batida ao revelar um mundo, digamos, um pouco doentio. 

E não é só o enredo que chama a atenção.  Tem também a diretora Jordan Scott, protagonista do nosso primeiro Momento Você S/A, estimulando jovens talentos mundo afora.

Sim, ela é filha de Sir Ridley Scott, o que, segundo revelou ao Times, não torna a vida muito mais fácil. “Directing is a tough thing to do no matter who you are. You still have to be the person who makes the film, you still have to get financing, you have to go though all the steps everybody else has to. And, if people don’t want it, they don’t want it.

Independente da árvore genealógica,  o que realmente importa para esse blog é que Cracks foi um ótimo trabalho para uma estreante de apenas 32 anos.

Antes disso, Jordan tinha feito somente comerciais para companhias como Renault e Orange, além de participar de um segmento do Crianças Invisíveis, ao lado do papi.

Como você pode ver na foto acima, tirada durante a estreia no London Film Festival, Cracks ainda traz Eva Green.

E essa mulher, minha gente, não é só bonita. Ela é imponente – não importa o ambiente ou a roupa. Cracks também prova isso.

   

Afinal, não é a toa que o 007 se apaixonou por ela né?

 

PS1: Cracks foi inspirado na obra de Sheila Kohler. A diferença é que a história não se passa durante o Apartheid na África do Sul, mas em uma ilha fictícia na costa da Inglaterra.