Perfume – A História de um Assassino por Melhor Praga

Perfume (2006) é um filme belo. Sem grandes surpresas. Mas, uma frase carregada de profundo ódio chamou minha atenção. Os posts de melhor frase são especialidades da Tati, que as conhece de cor, mas eu resolvi arriscar.

A frase em questão é, na verdade, uma praga. E praga tem que ser assim, tem que deixar qualquer um com medo só de ouvir. Tem que fazer a pessoa se arrepender da própria existência. O ator Alan Rickman (btw, ótimo e já muito comentado por aqui) passa ódio sem precisar alterar nem um tom a voz.

“Very well, but remember this… I’ll be looking at you when you’re laid on the cross and the twelve blows are crashing down on your limbs. When the crowd is finally tired of your screams and wandered home, I will climb up through your blood and sit beside you. I will look deep into your eyes… and drop by drop I will trickle my disgust into them like burning acid until… finally… you perish.”

Minha tradução (perdoem). Pensa naquela pessoa que te fez mal e vai.

“Muito bem, mas lembre-se … Eu estarei olhando você deitado na cruz quando os doze golpes esmagarem seus membros. Quando a multidão finalmente se cansar dos seus gritos e for para casa, eu vou subir entre seu sangue e me sentar ao seu lado. Vou olhar profundamente em seus olhos … e vou despejar gota a gota meu nojo dentro deles como ácido até que…  finalmente…você pereça.”

Para não estragar o prazer de ver o filme com malditos spoilers, vá direto para o minuto 2:51 do vídeo e veja a cena que ele pronuncia a praga.

PS1:  Como pode? Ele é o infame xerife de Nottingham em Robin Hood (1991)!?
Af…

Todo mundo tem um passado condenável!

PS2:  Btw, alguém viu a versão Hood do Ridley Scott?

ps3: Perfume foi dirigido pro Tom Tykwe. Sim, você conhece ele.  Ele dirigiu e escreveu Corra, Lola, corra.

abraços,

@abelardobarbosa

Anúncios

Paris, te amo por Melhor Ligação e Melhor Solidão

Depois de NY Eu te Amo, quis rever Paris, Te Amo.

Para mim, este demora um pouco a engrenar. Não consigo me envolver com as primeiras histórias – só admirar a cidade.

Gosto, porém, de vários segmentos:

– o das Tulherias, dirigido pelos irmãos Coen e protagonizado por Steve Buscemi.

– o da Bastilha, da espanhola Isabel Coixet

–  o da Praça das Vitórias, com os maravilhosos  Juliette Binoche e Willem Dafoe.

– o do cemitério, em Père-Lachaise, com Rufus Swell interpretando um texto de Wes Craven.

– o do Quartier Latin,  com roteiro de Gena Rowland e direção de Gérard Depardieu.   

Só que nenhuma dessas histórias me emocionou tanto quanto a escrita pelo alemão Tom Tykwer e o do americano Alexander Payne.  

Na primeira, Francine (Natalie Portman) liga para o namorado e diz:

Thomas, Listen. Listen. There are times when life calls out for a change. A transition. Like the seasons. Our spring was wonderful, but summer is over now and we missed out on autumn. And now all of a sudden, it’s cold, so cold that everything is freezing over. Our love fell asleep, and the snow took it by surprise. But if you fall asleep in the snow, you don’t feel death coming. Take care.

No último segmento, a melhor e mais triste solidão de Carol, interpretada por Margo Martindale.

Sitting there, alone in a foreign country, far from my job and everyone I know, a feeling came over me. It was like remembering something I’d never known before or had always been waiting for, but I didn’t know what. Maybe it was something I’d forgotten or something I’ve been missing all my life. All I can say is that I felt, at the same time, joy and sadness. But not too much sadness, because I felt alive. Yes, alive. That was the moment I fell in love with Paris. And I felt Paris fall in love with me.

PS1: Já falamos de NY Eu te Amo aqui, vc viu?

PS2: Dizem que os próximos lançamentos serão: Shanghai, I Love You e Rio, Eu Te Amo.

PS3: Para não esquecer –  Walter Salles e Daniela Thomas foram os responsáveis por Loin du 16e.

PS4: Eu tenho a impressão que eu não ‘captei’ Paris.

PS5: A trilha também é uma delícia. E Meme Histoire é a minha preferida.