Frame: To Rome With Love

Após cinco filmes, Woody volta a atuar, ressuscita  Robertooo!!, escala uma seleção e, ainda assim, quem rouba a cena é Roma, a cidade mais linda do mundo.

PS1: To Rome With Love deve estear em junho no Brasil.

PS2: Mais Roma aqui e aqui.

GAROTA OS INDICADOS: Faye Dunaway

Começa hoje o famoso Festival de Cannes e quem ilustra a cartaz oficial é Faye Dunaway, cujo primeiro filme (Puzzle of a Downfall Child) foi restaurado e  integra a programação.

A foto acima foi tirada nos anos 70 pelo próprio diretor, e também fotógrafo, Jerry Schatzberg. Bom trabalho, não?

Falando em Cannes, o festival desse ano, presidido por Robert de Niro, terá Almodóvar (La Piel que Habito) , Gus Van Sant (Restless) e Terence Malick / Brad Pitt (A Árvore da Vida). Expectativa também para o lançamento de  Meia-Noite em Paris, filme de Woody Allen com a primeira-dama francesa Carla Bruni.

      

Bernardo Bertolucci receberá a Palma honorária pela carreira.

Ranking: Empire State Building no Cinema

Hoje, 01/05/2011, um dos edifícios mais famosos do mundo completa 80 anos. O Empire State Building já foi destaque em vários filmes. Relembre nove filmes agora:

9. Tarde Demais para Esquecer

Não foi o primeiro, mas, com certeza, é o mais famoso. Tarde demais para Esquecer inspirou vários casais a marcar encontro no ESB, assim como Cary Grant e Deborah Kerr.

8. Sintonia de Amor

Tarde Demais para Esquecer não só serviu como inspiração como também é citado no filme de Nora Ephron com Tom Hanks e Meg Ryan.

7. Annie Hall

Esse é somente um dos filmes de Woody, um apaixonado por Manhattan, a ter o ESB como cenário.  

6. O Dia Depois de Amanhã

Mais um filme catástrofe que deixou o ESB congelado.

5. Independence Day

Não, eles não pouparam o ESB. Miseráveis!

4. Percy Jackson e o Ladrão de Raios.

Imagine você: o Monte Olimpo é bem em cima do ESB.  Mundo pequeno, não?

3. Superman II

Neste filme, Metrópolis abre espaço para marcos internacionais, como a Torre Eiffel e o ESB, que tem a sua antena arrancada. Mais um trabalho para o Superman!

2. Harry & Sally

 

Adivinha?   O apartamento do Harry tinha vista para o ESB.

1. KING KONG

Precisa falar alguma coisa?

PS1: O ESB tem 381 metros e 102 andares. Atrai mais de 3,5 milhões de visitantes anualmente.

PS2: Hoje o ESB é apenas o terceiro prédio mais alto dos EUA.

PS3: Em 1945, um avião B-25 bateu no ESB. Sua estrutura não foi abalada.

PS4: Marco romântico, o ESB também já foi palco de várias tentativas de suicídio. Por isso, a administração resolveu, em 1947, instalar cercas protetoras no terraço do 86º andar.

Diário de uma Paixão por Melhor Declaração e Melhor Dedicatória

Há quase um mês que procuro na Blockbuster esse filme. O motivo, confesso com vergonha, não é nada nobre: Ryan Gosling é a minha nova obsessão. Além disso, durante uma ampla e profunda (sic)  navegação na web, li em um site que esse é o romance preferido de Mark Wahlberg (veja aqui).

Declarações constrangedoras à parte, encontrei o filme na última terça-feria e me surpreendi. O elenco, além de Gosling, é muito bom — tem Gena Rowland, James Garner e Joan Allen.

    

A história é de Nicholas Sparks, responsável pelos best-sellers A Última Música, Querido John e Noites de Tormenta.  Sim, as três obras também viraram filmes, o que é motivo de sobra para quem gosta de torcer o nariz para qualquer coisa mais comercial. Não é o meu caso.

        

Diário de Uma Paixão é definitivamente o meu Nicholas Sparks preferido e deve em breve entrar na minha DVDteca.  Há tempos não chorava tanto com uma obra e, por isso, se você ainda não assistiu a esse filme, PARE AGORA DE LER ESSE POST.

É isso mesmo!  Assista ao filme e depois volte deixar o seu comentário. Eu juro que não vai se arrepender.

Se já viu, então você conhece essa cena, a mais famosa do filme:

Young Allie: Why didn’t you write me? Why? It wasn’t over for me, I waited for you for seven years. But now it’s too late.
Young Noah: I wrote you 365 letters. I wrote you everyday for a year.
Young Allie: You wrote me?
Young Noah: Yes… it wasn’t over, it still isn’t over

Para mim, ela só é inferior a outra declaração, manifestada, de uma forma talvez desarticulada, durante uma discussão:

Young Noah: Would you just stay with me?
Young Allie: Stay with you? What for? Look at us, we’re already fighting.
Young Noah: Well that’s what we do, we fight… You tell me when I am being an arrogant son of a bitch and I tell you when you are a pain in the ass. Which you are, 99% of the time. I’m not afraid to hurt your feelings. You have like a 2 second rebound rate, then you’re back doing the next pain-in-the-ass thing.
Young Allie: So what?
Young Noah: So it’s not gonna be easy. It’s gonna be really hard. We’re gonna have to work at this every day, but I want to do that because I want you. I want all of you, for ever, you and me, every day. Will you do something for me, please? Just picture your life for me? 30 years from now, 40 years from now? What’s it look like? If it’s with him, go. Go! I lost you once, I think I can do it again. If I thought that’s what you really wanted. But don’t you take the easy way out.
Young Allie: What easy way? There is no easy way, no matter what I do, somebody gets hurt.
Young Noah: Would you stop thinking about what everyone wants? Stop thinking about what I want, what he wants, what your parents want. What do YOU want? What do you WANT?
Young Allie: It’s not that simple.
Young Noah: What… do… you… want? What do you want?
Young Allie: I have to go now.

E não há quem não se emocione com a dedicatória mais triste e mais linda:

The story of our lives, by Allison Hamilton Calhoun. To my love, Noah. Read this to me and I’ll come back to you.

PS1: O beijaço de Ryan e Rachel ganhou o MTV Movie Awards e foi repetido no palco do evento pela dupla:

Se inveja matasse…

PS2: Enquanto Rachel se prepara para o lançamento do seu primeiro Woody Allen (comentei aqui), my darling Ryan filma com George.

Que tal?

PS3:  Eu me recuso a comentar um eventual romance dele com a Michelle Aproveitadora Williams (prefiro perder para a Olivia), mas não posso deixar de citar a ótima performance em Blue Valentine.

Tudo Pode Dar Certo Por Melhor Abertura e Melhor Ranzinza

Boris Yellnikoff had me at hello (perdoe a licença poética, Tom)

Why would you want to hear my story? Do we know each other? Do we like each other? Let me tell you right off, ok… I’m not a like-able guy. Charm has never been a priority with me. And just so you know, this is not the feel good movie of the year. So if you’re one of those idiots who needs to feel good, go get yourself a foot massage. (…) What the hell does it all mean anyhow? Nothing. Zero. Zilch. Nothing comes to anything. And yet, there’s no shortage of idiots to babble. Not me. I have a vision. I’m discussing you. Your friends. Your coworkers. Your newspapers. The TV. Everybody’s happy to talk. Full of misinformation. Morality, science, religion, politics, sports, love, your portfolio, your children, health. Christ, if I have to eat nine servings of fruits and vegetables a day to live, I don’t wanna live. I hate goddamn fruits and vegetables. And your omega 3’s, and the treadmill, and the cardiogram, and the mammogram, and the pelvic sonogram, and oh my god the-the-the colonoscopy, and with it all the day still comes where they put you in a box, and its on to the next generation of idiots, who’ll also tell you all about life and define for you what’s appropriate. My father committed suicide because the morning newspapers depressed him. And could you blame him? With the horror, and corruption, and ignorance, and poverty, and genocide, and AIDS, and global warming, and terrorism, and-and the family value morons, and the gun morons. “The horror,” Kurtz said at the end of Heart of Darkness, “the horror.” Lucky Kurtz didn’t have the Times delivered in the jungle. Ugh… then he’d see some horror. But what do you do? You read about some massacre in Darfur or some school bus gets blown up, and you go “Oh my God, the horror,” and then you turn the page and finish your eggs from the free range chickens. Because what can you do. It’s overwhelming! I tried to commit suicide myself. Obviously, it didn’t work out. But why do you even want to hear about all this? Christ, you got your own problems. I’m sure your all obsessed with any number of sad little hopes and dreams. Your predictably unsatisfying love lives, your failed business ventures. “Oh, if only I’d bought that stock! If only I-if only I purchased THAT house years ago! If only I’d made a move on THAT woman.” If this, if that. You know what? Gimmie a break with your could have’s and should have’s. Like my mother used to say, “If my grandmother had wheels, she’d be a trolley car.” My mother didn’t have wheels. She had varicose veins. Still, the woman gave birth to a brilliant mind. I was considered for a Nobel Prize in physics… I didn’t get it. But, you know, its all politics. It’s like every other phony honor. Incidentally, don’t think I’m-I’m bitter because of some personal setback. By the standards of a mindless, barbaric civilization, I’ve been pretty lucky. I was married to a beautiful woman who had family money. For years we lived on Beekman Place. I taught at Columbia. String theory.

Já que falta pouco pro Réveillon…

I happen to hate New Year’s celebrations. Everybody desperate to have fun. Trying to celebrate in some pathetic little way. Celebrate what? A step closer to the grave? That’s why I can’t say enough times, whatever love you can get and give, whatever happiness you can filch or provide, every temporary measure of grace, whatever works.

PS1: Larry David, que interpreta  Boris Yellnikoff, é  co-criador e principal roteirista de  Seinfeld . É dele também Curb Your Enthusiasm.

PS2: Este blog TEM que fazer uma menção honrosa a Henry Cavill, que interpreta Randy James, o ator que se apaixona por Melody.

Ele tem alguns filmes no currículo, mas a principal participação foi em The Tudors, como Charles Brandon, um dos melhores amigos de Henrique VIII.

Muito talento, não?

Leia mais sobre ele aqui.

Todos Dizem Eu Te Amo Por Melhor Versão

Sabe o que acontece quando você junta Woody Allen, Edward Norton e Nina Simone?

E essa é a versão original:

Um Misterioso Assassinato em Manhattan por Melhor Sugestão

De Larry Lipton, personagem de Woody Allen:

You have to go to the eye doctor and get happy glasses.

Alguém tem o telefone desse oculista, por favor?

PS1: Mais sobre esse filme aqui e aqui.