Ah…o amor… por Melhor Teoria

Recentemente, o cineasta Marco Bellocchio disse à Folha de S.Paulo que o cinema italiano não vive uma má fase. “Mas quantos filmes italianos chegam ao Brasil? O que vocês conhecem?”, perguntou.

É mesmo. É muito mais fácil encontrar filmes argentinos e franceses nos nossos cinemas do que italianos. E, olha, que até comédias românticas eles fazem.  É o caso de Ah…O Amor.

Lançado em 2009,  o longa segue a receita de Simplesmente Amor e acaba sendo muuuuito melhor que Idas e Vindas do Amor, para mim a Maior (e não melhor) decepção de 2010.

Ah…O Amor é romântico, é engraçado e é exagerado (afinal, é italiano!!). Em outras palavras, uma deliciosa sessão da tarde.

E ainda tem uma teoria que pode render boas conversas de cocotas (ou explicar muita coisa):

Amor é uma doença perigosa, que ao contrário de sarampo e catapora, pode nos contagiar várias vezes durante a nossa vida.

VOU AMAR VOCÊ PRA SEMPRE.

VOCÊ É A MULHER DA MINHA VIDA

Mas, sobretudo,

NUNCA VAMOS NOS DEIXAR.

São as típicas frases que dizemos quando estamos apaixonados. Qual de vocês já disse pelo menos uma vez?

É isso! Evidentemente não sabiam que a dopamina, um neurotransmissor, aumenta na fase inicial da paixão. Digamos que a dopamina é uma espécie de droga natural, que nos faz ver o mundo colorido.

Mas esses valores tendem a se normalizar no período de dois anos. Pessoal, está cientificamente provado, que o amor romântico e passional acaba depois de menos de 1000 dias, a partir do primeiro beijo.

(…)

Conformem-se com isso. Mais dia, menos dia, na nossa vida, estamos todos fadados a virar um EX!

Não é?

PS1:  É claro que Ah…O Amor também tem declarações de amor. Eu gosto da fita cassete com músicas e a inscrição “Ti Amo, Sogno” e a do quebra-cabeça (a namorada vai morar na Nova Zelândia e na mala encontra um envelope com uma peça do quebra-cabeça que ela e o namorado estavam montando –  entrelinha: tá faltando um pedaço. Ã? ã? ã?)

PS2:  Ah…O Amor é dirigido por Fausto Brizzi.

PS3: Marco Bellocchio é um conhecido cineasta italiano, que lançou recentemente Vincere no Festival de Cannes.

Anúncios

Alguém Como Você por Melhor Teoria

Jane Goodale  tomou emprestado o PhD de Dra Marie Charles, “confundadora do Instituto do Narcisismo Patológico“, para divulgar a Teoria da Nova Vaca

A ideia surgiu a partir de um coração partido e um artigo publicado na página de Ciências do NYT sobre as preferências do touro no acasalamento.

O macho cruza com a fêmea quando colocados em um mesmo ambiente. Em um segundo momento, ele a recusa, pois quer uma nova vaca. Nas palavras de Jane, “a teoria da vaca nova e o ‘eu odeio transar com a mesma mulher’ são a mesma coisa. Por isso, os homens são infiéis. Cedo ou tarde, nós viramos vacas velhas e eles, então, saem a procura de fêmeas menos familiares”.

Com uma obsessão na cabeça, a produtora mergulha em uma literatura (sic) bem específica, formulando melhor a teoria. Trata-se da imperatividade copulativa, isto é, um impulso biológico de espalhar a semente.

O ’touro’ começa um relacionamento sempre com uma carta na manga – ferramentas de sedução com as quais atrai a vaca nova.  Um dos exemplos mais notórios é a triste história da vaca atual, que não o compreende perfeitamente. Este é o segredo para entender o mito da timidez masculina – parece que ele está fazendo elogios a você, mas na verdade o faz a si mesmo, mostrando o quanto honesto e sensível ele é.

Fato é que, segundo Jane, menos de 5% dos animais machos são monógamos. Os outros 95% estão “plugging Penelope Pope“.

Quer saber mais sobre essa teoria maluca?  (será?)

PS: É, eu sei, incorporação desativada. Cazzo!

PS2: Eu gosto muito da Marisa Tomei e adoro os filmes da Ashley Judd, cuja mãe é cantora country.

PS3: Mesmo sem as garras, o Hugh Jackman tá uma belezinha nesse filme, não?

PS4: Revendo Alguém Como Você, achei um erro de continuidade. Quando Jane vai morar com Eddie, uma das paredes do seu quarto está destruída. Cenas depois, quando Jane e Eddie dormem (no sentido literal da palavra) juntos, essa mesma parede, que dava para a sala, virou uma  janela, com cortininha fofa e claridade do sol entrando. #shithappens.

O Casamento dos Meus Sonhos por Melhor Teoria

2001_the_wedding_planner_006

Seriam os M&Ms marrons mais saudáveis por terem menos corante que os demais?

Eu acho que vale ver o trecho todo, mas, de novo, os impacientes podem assistir a partir do 6′.

PS1: Quem não queria ser salva por um homem desses? Ou será que esse homem lindo, espirituoso, bom com as crianças e  indiferente ao seu cabelo oleoso é mais uma fantasia criada por Hollywood?

PS2: O Casamento dos Meus Sonhos poderia ser indicado a Melhor Ideia. Por que não um cinema ao ar livre, com uma programação só de clássicos?  

PS3: Além da ‘melhor amiga’ Judy Greer, o filme apresenta também Justin Chamber como um italianinho bem mais jovem e generoso que o Karev. Aliás, a Sony trouxe o moço para o Brasil anos atrás para promover o G.A. Na época, ele disse que era amigo da Sonia Braga (isso conta contra né?), com quem teria pego dicas sobre o País.