O Poder e a Lei por Melhor Placa de Carro e Melhor Lábia

O Poder e a Lei é um filme que passou despercebido pelos cinemas. Não posso dizer que injustamente por um único motivo: com o preço cobrado hoje pelos multiplex-da-vida é melhor reservar para ver na telona somente aqueles com efeitos especiais. E esse não é o caso de O Poder e a Lei.

The Lincoln Lawyer, nome original, tem uma boa trama e o responsável por ela é Michael Connelly, um best seller de crimes suspeitos. O elenco, encabeçado por Matthew McConaughey, é muito bom: Marisa Tomei, Ryan Phillippe, John Leguizamo, Josh Lucas e William H. Macy.

O personagem de McConaughey, o advogado Mick Haller faz jus à fama da categoria – da placa do carro que dirige…

… a  inacreditável lábia.

 

Não deixe de ver!!

Anúncios

The Ides of March por Melhor Poster


É isso mesmo! O filme nem estreou ainda e já recebe uma indicação nesse blog. Merecido, vai?! Esse poster, 50% Ryan e 50% George, é sensacional.

 

PS1: Já tinha mencionado esse filme aqui.

PS2: O roteiro e a direção são assinados pelo George.

PS3: Assista ao trailer:

Ranking: Os mal aproveitados de Hollywood

Quem disse que talento e/ou um rostinho bonito são suficientes para ser uma estrela em Hollywood?  Nope. Tem muita gente boa que não consegue uma estrela na calçada da fama e ter o sol brilhando.

Com vocês, as provas disso.

10. Rebecca de Mornay


Porque 19 anos se passaram e  Peyton continua imbatível.

9. Marisa Tomei


Ela ganhou um Oscar em 1992, já foi indicada outras vezes, é muito bonita e, mesmo assim, continua cavando, com dificuldade, papéis secundários.

8. Stanley Tucci


Em 2010, com Um Olhar do Paraíso, eu achei que finalmente ele seria reconhecido. Ledo engano…voltou a ser coadjuvante.

7. Laura Linney

Ela já foi indicada ao Oscar em três ocasiões, já interpretou todo tipo de personagem e tem no seu currículo filmes maravilhosos.  Nada disso foi suficiente. Até que  a Original Film e a Sony resolveram produzir The Big C, com Laura no papel principal.  Sorte nossa!

6.  Kevin Kline

Ok, ele fez muito filme ruim. Mas também emocionou e arrancou lágrimas como Cole Porter, foi o professor Howard Brackett em Será Que Ele É e William Hundert em O Clube do Imperador, foi o francês Luc  e tantos outros personagens inesquecíveis. Mesmo assim, a gente é obrigado a vê-lo fazendo uma ponta em um filminho capenga como Sexo Sem Compromisso. Que dor no coração!

5. Richard Dreyfuss

Ele já  teve mais sorte no passado. Hoje faz pequenas participações em filmes que seriam questionáveis se este coadjuvante não roubasse completamente a cena.

 

4. Christine Baranski

Mais um presente que a TV nos dá. E quem assiste a The Good Wife sabe do que estou falando.

3.  Toni Collette

Na mesma categoria de Christine e Laura está Toni. Indicada ao Oscar por Sexto Sentido, ela continuava com papéis secundários até virar a estrela de United States of Tara.

 

2. Minnie Driver

Aparentemente a atriz inglesa só não convenceu os chefões de Hollywood. Adoro!

 

1. Tom Wilkinson

Este ator deveria estar na categoria de intocáveis, ao lado de Niro, Al Pacino e Dustin Hoffman.

Ranking: 10 filmes do Sundance Film Festival

Confira os filmes que estão “causando”, segundo Richard Lawson.

10. The Future

Miranda July (já retratada nesse post) cria, dessa vez, a história de um casal unido por um gato, o verdadeiro narrador dessa história.

9. Homework

Alicia Silverstone renasce das cinzas, ao lado da Sra Tom Hanks (Rita Wilson),  do gatíssimo Blair Underwood e da sobrinha da Julia (Emma Roberts), em um filme que trata da vida de um adolescente que aprende um pouco mais sobre essa vida quando conhece “a mulher dos seus sonhos”.

8. Salvation Boulevard

Comédia sobre um ex-hippie que tem que ir para o limbo após decidirem que ele não é tão santo quanto o resto da igreja. Elenco, no mínimo, interessante: Jennifer Connelly, Marisa Tomei, Greg KinnearPierce Brosnan.

7. Martha Marcy May Marlene

Elizabeth Olsen (mais uma?) protagoniza a história da jovem que tenta reconstruir sua vida após fugir de um culto nebuloso.

6. The Ledge

E a religião é, de novo, mote de um filme, que tem outra fênix no elenco, Liv Tyler.  O  thriller mostra a violência desencadeada por um argumento apresentado por ateu a um cristão conservador.

5. Life in a Day

Imagine um filme feito a partir de fragmentos enviados por pessoas de várias partes do mundo.  A proposta? Eles deveriam mostrar o que estavam fazendo em 24 julho de 2010. A colcha de retalhos foi costurada pelos diretores Kevin MacDonald e Ridley Scott e estreia hoje (27/01) em Sundance, com transmissão ao vivo no youtube.

4. Red State

Não sei se é o fim do mundo, mas a religião é também tema de um  filme de terror, liderado por Kevin Smith, sobre  um grupo de pessoas que se vê frente a frente com o fundamentalismo extremo.

3. Higher Ground

Nhé! Vera Farmiga dirige e protagoniza o drama de uma mulher que dedica 20 anos da sua vida ao fundamentalismo. Um dia ela ela decide partir… to infinity and beyond! Ok, ok. Foco.

2. Page One

Documentário feito a partir da experiência de Andrew Rossi em um departamento do  New York Times. Nas palavras de Richard  Lawson, “Should be thrilling for media nerds everywhere“.

1. Margin Call

A crise financeira de 2008  é revisitada nesse thriller liderado Kevin Spacey (Que prazer rever você!!) .  Demi Moore, Mary McDonnell e o incansável Stanley Tucci também integram o elenco.

Alguém Como Você por Melhor Teoria

Jane Goodale  tomou emprestado o PhD de Dra Marie Charles, “confundadora do Instituto do Narcisismo Patológico“, para divulgar a Teoria da Nova Vaca

A ideia surgiu a partir de um coração partido e um artigo publicado na página de Ciências do NYT sobre as preferências do touro no acasalamento.

O macho cruza com a fêmea quando colocados em um mesmo ambiente. Em um segundo momento, ele a recusa, pois quer uma nova vaca. Nas palavras de Jane, “a teoria da vaca nova e o ‘eu odeio transar com a mesma mulher’ são a mesma coisa. Por isso, os homens são infiéis. Cedo ou tarde, nós viramos vacas velhas e eles, então, saem a procura de fêmeas menos familiares”.

Com uma obsessão na cabeça, a produtora mergulha em uma literatura (sic) bem específica, formulando melhor a teoria. Trata-se da imperatividade copulativa, isto é, um impulso biológico de espalhar a semente.

O ’touro’ começa um relacionamento sempre com uma carta na manga – ferramentas de sedução com as quais atrai a vaca nova.  Um dos exemplos mais notórios é a triste história da vaca atual, que não o compreende perfeitamente. Este é o segredo para entender o mito da timidez masculina – parece que ele está fazendo elogios a você, mas na verdade o faz a si mesmo, mostrando o quanto honesto e sensível ele é.

Fato é que, segundo Jane, menos de 5% dos animais machos são monógamos. Os outros 95% estão “plugging Penelope Pope“.

Quer saber mais sobre essa teoria maluca?  (será?)

PS: É, eu sei, incorporação desativada. Cazzo!

PS2: Eu gosto muito da Marisa Tomei e adoro os filmes da Ashley Judd, cuja mãe é cantora country.

PS3: Mesmo sem as garras, o Hugh Jackman tá uma belezinha nesse filme, não?

PS4: Revendo Alguém Como Você, achei um erro de continuidade. Quando Jane vai morar com Eddie, uma das paredes do seu quarto está destruída. Cenas depois, quando Jane e Eddie dormem (no sentido literal da palavra) juntos, essa mesma parede, que dava para a sala, virou uma  janela, com cortininha fofa e claridade do sol entrando. #shithappens.

Do Que as Mulheres Gostam por Melhor Dança

what-women-want06

I need some Frank too!!

Eu peguei um pouco de preguiça do Mel Gibson nos últimos tempos, mas é preciso admitir que ele fez bons filmes. E esse é um deles:

PS1: E eu ainda acho que o talento da Marisa Tomei é desperdiçado nos filmes. Afinal, ela tem um Oscar por Meu primo Vinny e outras duas indicações no currículo.

PS2: E por onde anda Helen Hunt, minha gente?